Ibaneis recompõe Casa Militar do DF e adia criação do GSI; ‘falta de respeito’, diz Laerte Bessa

0
156

O governo do Distrito Federal publicou, nesta terça-feira (15), decreto que recompõe a estrutura da Casa Militar do DF. O órgão tem status de secretaria e é responsável, entre outras coisas, pela segurança pessoal do governador e do vice.

Nova estrutura da Casa Militar

Saiu ontem em edição extra do Diário Oficial do DF a nova estrutura da Casa Militar e as nomeações de 307 policiais e bombeiros militares. Entre os cargos, estão os dois ajudantes de ordem, os PMs que acompanharão o governador Ibaneis Rocha durante todo o dia. Os escolhidos são os capitães Marcelo dos Santos Marquinho e Alexandre Pereira Alves de Oliveira.

O texto foi publicado em uma edição extra do Diário Oficial do DF, e nomeia dezenas de militares e civis para diferentes cargos. A nova chefia do órgão, no entanto, não foi definida.

A Casa Militar ainda não tinha sido reformulada porque, ao assumir o Palácio do Buriti, o governador Ibaneis Rocha (MDB) anunciou que substituiria o órgão por um Gabinete de Segurança Institucional (GSI), a exemplo do que existe na União.

‘Ficamos sem resposta’

O deputado federal e delegado aposentado da Polícia Civil Laerte Bessa (PR) chegou a ser indicado para a chefia da nova estrutura. No entanto, além do mal-estar com a PM, a ideia gerou “entraves jurídicos” e Ibaneis decidiu adiar a mudança por tempo indeterminado.

Em entrevista ao G1 nesta quarta (16), Laerte Bessa se disse indignado com a mudança, e afirmou que não foi chamado para qualquer conversa sobre os rumos do GSI desde o início da gestão Ibaneis.

“Quando foi o dia da nomeação [1º de janeiro], vi que o GSI não estava incluído entre as secretarias. Não teve diálogo. Falta de respeito dele comigo e com todo o grupo criado durante a transição.”

Bessa diz que, ao longo do governo de transição, montou um grupo a pedido de Ibaneis para discutir o Gabinete de Segurança Institucional. “Recrutei vários profissionais de alta qualificação e ficamos sem resposta. Ele [Ibaneis Rocha] me expôs.”

Procurado para comentar as declarações, o governador apontou que tem por Laerte Bessa “todo o respeito” e que espera “em breve, contar com a sua experiência e confiança”. “Estou procurando acertar, corrigir erros do passado e avançar”, disse Ibaneis.

E o GSI?

À reportagem, a assessoria de imprensa do governador informou que, até a tarde desta quarta-feira (16), a Procuradoria-Geral do DF e a consultoria jurídica do Palácio do Buriti analisavam a viabilidade do GSI.

Segundo o GDF, caso se concretize a criação do órgão, os servidores nomeados para a Casa Militar deverão ser incorporados ao Gabinete de Segurança Institucional.

A Casa Militar foi criada oficialmente no DF em setembro de 1970, por decreto. Desde então, a estrutura sempre existiu no governo da capital, sem mudança de nome, status ou atribuição.

Fonte:  Com informações do Portal G1-DF