Após suposto assédio a servidora da Papuda, Luiz Estevão vai para o isolamento

Luiz Estevão na cadeia (Mário Rodrigues/VEJA)

O ex-senador Luiz Estevão, que cumpre pena na Papuda em regime semiaberto, foi colocado em isolamento por conta de suposto assédio a uma agente penitenciária.  Ele agora é alvo de mais um processo administrativo, que vai apontar se houve falta disciplinar. A condenação no âmbito administrativo pode gerar a suspensão do benefício de progressão de pena e levar o senador cassado novamente ao regime fechado.

Em nota, a Subsecretaria do Sistema Penitenciário (Sesipe), vinculada à Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal, informou que “o procedimento apuratório contra o detento vai avaliar possível desrespeito a uma servidora”.

“Ao tomar conhecimento da denúncia, a Sesipe colocou o detento em isolamento disciplinar preventivo, por dois dias (já cumpridos), a título de medida administrativa inicial. Ao término do procedimento de apuração será avaliado se houve falta disciplinar e, nesse caso, qual será a punição”, diz nota da Sesipe.

O advogado do ex-senador, Marcelo Bessa, negou que o cliente tenha cometido assédio e afirmou que vai tratar do assunto apenas no âmbito da Justiça.

‘Linda’

Atualmente no regime semiaberto, Luiz Estevão teria dito a uma agente da Diretoria Penitenciária de Operações Especiais que ela é “linda”, além de outros gracejos, ao chegar do trabalho, no posto de fiscalização da Papuda.

Durante o isolamento, o detento muda de cela. Fica sozinho, sem direito a televisão, ventilador e perde o direito de trabalhar fora da cadeia no período.

Saidão

Mesmo com o caso em apuração, Luiz Estevão está na lista de presos que devem se beneficiar no próximo saidão – entre sexta-feira (9) e segunda (12).

Pelas regras, o detento que estiver respondendo por falta grave não pode ser liberado. A Secretaria de Segurança não comentou sobre o assunto.

Com informações do Blog CB PODER e G1.

PUBLICIDADE