Batalhão de Choque e sem-teto entram em confronto durante reintegração de posse em prédio localizado na Avenida São João, altura do 605, no centro de São Paulo (SP), ocupado por famílias que integram o movimento FLM, na manhã desta terça-feira (16). André Lucas Almeida/Futura Press

Na madruga de ontem (27/01) policiais militares do 15º BPM (Estrutural) foram atacados com pedradas e garrafadas ao tentar encerrar uma festa que incomodava a população da cidade. Três policiais militares ficaram feridos, um deles fraturou a perna, fez cirurgia e passa bem. Os casos de som alto e de enfrentamentos com a polícia são comuns no local.

WhatsApp-Image-2018-01-27-at-08.45.12

Um ponto que chamou a atenção e gerou debates nas redes sociais foi uma das falas da matéria:

“O triste é pegar uma missão sem ter nem mesmo gás na viatura. Munição de borracha e lançador de granada, na PM de São Paulo, são normais nas viaturas. Aqui é proibido. Só os especializados têm e, até chegarem no local, já deu no que deu. Nossas vidas são um lixo nas mãos de algumas pessoas. Infelizmente, a vaidade de alguns fere e pode matar os PMs ‘comuns’“, falou um dos policial que participou da operação.

Em contato com a Comunicação Social da PMDF fomos informados de que existe uma comissão para tratar da liberação de certos equipamentos para algumas unidades operacionais do DF. “A comissão está alisando, juntamente com integrantes do BOPE e BPChoque quais equipamentos poderão ser liberados para as tropas operacionais que atuam diariamente na rua, desde elastômero, granadas de efeito moral e outras não letais.” A ideia é apresentar o estudo para o Comando Geral para avaliação e possível implementação.

download