Ao ler o  jornal de hoje tive algumas surpresas, desde denúncias contra oficiais superiores até o redirecionamento do policiamento.

A primeira questão prefiro não comentar, mas quem quiser saber mais pode entrar no link no final do post, já a segunda merece um comentário, pois tratei  dessas “idas e vindas de estratégias” em meu livro…

Falta-nos planejamento, agimos de acordo com as cobranças!

Já tivemos Rocans, Postos, Dupla Cosme e Damião, Tolerância Zero, Postos, Cosme Damião, Investimento pesado em viaturas, postos e agora Cosme e Damião novamente! Planejamento a curto, médio e longo prazo que é bom nada!!

Polícia Militar aposta novamente na dupla Cosme e Damião

Ação de bandidos a cada dois dias nas comerciais das asas Sul e Norte leva PM a reformular estratégia e anunciar a utilização de 50 duplas de ronda na região. Outras 10 vão atuar na área central do Plano Piloto
Gustavo Gulart
Publicação: 14/05/2009 07:50     Atualização: 13/05/2009 23:15

 

Dois assaltos na madrugada em uma mesma loja, ataques à mão armada e sensação de insegurança. Os comerciantes do Plano Piloto reclamam da ousadia, da facilidade e da frequência com que sofrem roubos e furtos nas asas Sul e Norte. A média de abordagens violentas alcançou em 2008 um caso a cada dois dias na região. Houve 187 roubos e aumento de 41,6% em relação ao ano anterior. Os números colocam o crime como um dos principais desafios das autoridades policiais em 2009. Por conta disso, a Polícia Militar mudará o plano de combate e promoverá a volta da dupla Cosme e Damião.

As queixas dos empresários brasilienses fizeram com que a corporação reformulasse a estratégia de policiamento em Brasília. Haverá, assim, o reforço de 120 policiais para a região central. São 50 duplas, divididas entre as asas Sul e Norte. Outras 10 atuarão no Setor Comercial Sul e no Setor Comercial Norte. “Detectamos a necessidade de reforçar a segurança na área do Plano. Optamos, então, em voltar com as duplas”, afirmou o chefe da comunicação social da PM, tenente-coronel Carlos Alberto Teixeira Pinto.

A presença das duplas fixas de policiais militares nas quadras residenciais e comerciais será retomada pelo Governo do Distrito Federal (GDF) depois de três anos. Em 2006, o policiamento afastou os ladrões de carros e de casas do Plano Piloto. Também diminuíram, na época, os números de roubos a postos de gasolina, de latrocínios (roubo seguido de morte) e de assassinatos no Plano Piloto, a partir da comparação com os dados de 2005. O Cosme e Damião ainda fez sucesso em 2000, quando se apostou no policiamento a pé e em pares.

A novidade passa por avaliação e aprimoramento há cerca de 15 dias nas ruas de Brasília. Desta vez, as duplas de policiais também cumprirão missão especial logo nas primeiras semanas de serviço. Fará parte da função, por exemplo, firmar contato com os comerciantes e dar dicas de segurança. “Os policiais vão rodar todas as comerciais para dar conselhos úteis aos donos de comércios. Em alguns casos, eles cometem falhas de segurança que atraem a bandidagem”, disse o tenente-coronel Teixeira.

Assalto filmado
Por enquanto, donos de padarias, farmácias, restaurantes, bares, butiques denunciam a deficiência do policiamento ostensivo no Plano Piloto. Os empresários atribuem os constantes casos ocorridos neste ano ao sumiço dos policiais militares das ruas. “Os PMs não circulam mais. Ficam nos postos (comunitários de segurança) e dizem que não podem sair porque precisam proteger o local. Nós é que deveríamos ser protegidos”, afirmou o administrador da comercial da 109 Sul, mais conhecida como Rua das Elétricas, Ari Lacerda.

A quadra registrou três arrombamentos nos últimos 45 dias. É a mesma onde os comerciantes se uniram para pagar R$ 6 mil por mês a uma empresa de segurança. Dois vigilantes se alternaram todos os dias, das 19h às 7h. Mesmo assim, o serviço não serviu para inibir a ação de três bandidos flagrados pelo circuito interno de TV de uma das elétricas. O prejuízo ficou em R$ 12 mil por conta da perda de dois computadores completos e da quebra da vitrine. O dono, Moacir Fernandes, está revoltado. “Trabalho agora bem mais estressado. Nem durmo direito de preocupação”, contou.

Os detalhes do crime praticado em 13 de abril aparecem nas imagens feitas pelas câmeras da loja. As gravações revelam dois bandidos que usam a tampa de um bueiro para arrebentar o vidro da vitrine e invadir a loja. Mostram-se apressados e interessados em equipamentos de informática. Nem se importam com a integridade dos aparelhos. Arrancam os fios com puxões e somem na madrugada. O local permanece vazio por cerca de 30 minutos, apesar do estrago na fachada e o alarme a disparar. Até que um terceiro assaltante, sem ligação com os outros dois, surge na cena e leva mais um computador.

Diante dessa conjuntura, a aposta do governo é que as duplas Cosme e Damião façam parcerias com os profissionais lotados nos postos comunitários de segurança, à despeito da descrença de parte dos comerciantes na eficiência dessas unidades.

“Cada posto tem uma área de ação e conta com pelo menos um carro para circular, mas eles exigem a permanência de dois homens fixos para atender a comunidade e servir de apoio”, justificou o tenente-coronel Carlos Alberto Teixeira Pinto. O governo local prevê a construção de 300 postos até 2010. Pelo menos 80 foram inaugurados.