Equipe Destaque: GTOP 35 – Cidade Estrutural

Guerra entre gangues, Setor Oeste contra Setor Leste e tráfico de drogas e armas, além de brigas por lotes resultam em homicídios e violência. É nesse clima tenso que policiais militares do GTOP 35 desbravam uma das áreas mais inseguras do DF: a Cidade Estrutural e Chácara Santa Luzia, uma região de aproximadamente 90 mil habitantes.

A Equipe Destaque da semana é composta por oito policiais militares que integram em duas guarnições, sendo o GTOP 35 Alfa e GTOP 35 Bravo, composto por oito policiais militares, sendo eles, os Cabos Agostini e Fábio Oliveira, comandantes das respectivas guarnições, e os soldados Avivaldo, Queiroz, Landim, Jaqueline, João Lucas, E. Rodrigues, H. Moura. A equipe garante que ocorrências mais complexas é o que lhes é de competência e que está preparada para qualquer que seja o atendimento.

O ranking de apreensões de armas de fogo no primeiro semestre de 2019, comparado com outros batalhões do Comando de Policiamento Regional Metropolitano II, pertencem a esses valorosos guerreiros, que arriscam a própria vida em defesa da sociedade. A média é de três armas apreendidas por mês e tiradas das mãos de criminosos, evitando assim possíveis crimes futuros. A equipe se orgulha por representar muito bem 15º BPM, localizado na Cidade Estrutural.

As regiões atendidas por essa equipe compreendem o Setor de Indústrias Gráficas, CEASA, Cidade do Automóvel, Cidade Estrutural, 26 de setembro e Jockey Club. De acordo com o cabo Agostini, comandante da equipe, os crimes mais comuns cometidos nesses locais são porte ilegal de arma de fogo e tráfico de drogas,

Os policiais são responsáveis por desarticular a maior boca de tráfico de drogas da Cidade Estrutural. Apenas nessa operação, os militares apreenderam 4 kg de maconha, 1 kg de crack, cerca de meio quilo de cocaína e 16 mil reais em dinheiro. “Todos os criminosos que estavam no local tinham antecedentes por roubo, tráfico, porte de armas, veículo roubado e clonado”, frisou o comandante.

“Nossa equipe foca nas prisões voltadas para o tráfico e porte de arma de fogo”, assim o cabo caracteriza sua equipe. Os policiais destacam que promovem uma interação entre o policiamento repressivo e o preventivo, por meio da aproximação com a comunidade local. “Fazemos diversas ações sociais. Mês passado, por exemplo, distribuímos cerca de mil casacos e cobertores no assentamento de Santa Luzia.” Os policiais confeccionaram, por meios próprios, dez mil cartões de visitas com um número de WhatsApp da equipe do GTOP, os quais foram distribuídos a comerciantes, moradores e escolas, caso precisem contatar rapidamente com a Polícia Militar.

Segundo o cabo Fábio Oliveira os excelentes resultados apresentados é devido ao interesse da equipe em reduzir a criminalidade na cidade, “a gente sabe que ali há muitas pessoas carentes que precisam da gente e depositam todas as esperanças em nós.” O cabo Agostini finaliza elogiando o trabalho coeso entre os grupos táticos no combate ao crime.”

foto gtop 35

Informações do Site da PMDF

PUBLICIDADE