GO: mais de 3 mil vagas para as penitenciárias estaduais

Luziânia e Formosa têm 733 das oportunidades oferecidas para níveis médio e superior. Remuneração chega a R$ 4,8 mil

A Secretaria de Administração de Goiás seleciona 3.024 profissionais para trabalhar no sistema penitenciário estadual. As vagas estão divididas em dois editais: um para 500 postos de agente de segurança prisional, cargo que exige nível superior em qualquer área; e outro para 2.524 vigilantes penitenciários temporários, com nível médio como pré-requisito.

Das oportunidades, 371 são para Formosa e 422 para Luziânia (foto em destaque), no entorno do Distrito Federal.

A demanda por servidores nas penitenciárias goianas foi alertada no início de 2018, quando comitiva do Supremo Tribunal Federal (STF) visitou algumas unidades e identificou carência urgente de reposição e reforço. Os concursos chegaram a ser autorizados, porém, só agora foram tomadas providências práticas.

Ainda assim, a melhoria vai demorar a chegar. A posse dos agentes será divida em duas etapas: 250 em setembro de 2020 e 250 em setembro de 2021. A homologação do processo seletivo para vigilantes está prevista para o fim de dezembro.

Depois de chamados, os aprovados passarão por curso de formação antes de darem início às atividades. Os contratos serão de um ano e poderão ser prorrogados por igual período.

Inscrições

Os interessados em concorrer a uma das 500 vagas de agentes devem ter graduação em qualquer área de formação e se inscrever até 13 de outubro. A remuneração inicial é de R$ 4.891,25 para jornadas de 40 horas semanais.

As avaliações começam em 24 de novembro, quando os candidatos farão provas objetiva e discursiva em todas as cidades onde houver lotação. Os selecionados ainda passarão por avaliação médica, física, psicológica e investigação social, todas organizadas pelo Instituto Americano de Desenvolvimento (Iades). Os resultados serão regionais e o curso de formação ocorrerá após a posse.

Vigilantes

Apesar de os editais trazerem atribuições muito semelhantes, os vigilantes passam por um crivo bem mais brando: farão apenas provas objetivas em 1º de dezembro para avaliar os conhecimentos. Das oportunidades, 337 são para mulheres, sendo 224 de ampla concorrência e 13 para aquelas com deficiência.

O salário será de R$ 1.950,46, já incluso vencimento, gratificação de risco de vida e auxílio-alimentação para a carga horária de 40 horas por semana — preferencialmente em regime de plantão. A Escola de Governo de Goiás será responsável pela seleção e recebe adesões até 21 de outubro.

Informações do Portal Metrópoles

PUBLICIDADE