“Ibaneis tem legitimidade para impor os seus programas”, diz secretário sobre militarização

0
9

Ex-procurador-geral do Ministério Público do Trabalho (MPT), João Pedro Ferraz assumiu a secretária de Educação, nesta terça-feira (20/08), com uma missão: acelerar a implementação da gestão compartilhada com a Polícia Militar em escolas da capital.

No primeiro dia à frente da pasta, ele defendeu a decisão do governador Ibaneis Rocha (MDB) de militarizar inclusive os colégios que disseram “não” ao modelo: “Ele tem não só a legitimidade para impor os seus programas e para estabelecer as políticas públicas, mas também a responsabilidade de fazer isso”, disse, em entrevista ao Correio.

Também secretário de Trabalho, Ferraz acumulará a chefia da Educação em meio a uma crise. O primeiro nome da pasta, Rafael Parente, foi demitido na noite de segunda-feira após se posicionar contra a decisão do governador de ignorar os resultados de consultas públicas a professores, pais e alunos desfavoráveis à militarização.

Em um dos primeiros compromissos oficiais do cargo, o novo secretário de Educação reúne-se, nesta quarta-feira (21), com o governador e o Sindicato dos Professores do DF (Sinpro) para tentar definir o futuro do Centro Educacional Gisno. 

No colégio da Asa Norte, o placar final registrou 58,49% dos votos válidos contra a gestão compartilhada. “Tenho certeza absoluta de que governo, sindicato e comunidade escolar encontrarão um denominador comum, porque o nosso interesse também é comum, que é uma boa educação e uma escola de qualidade com segurança para professores, alunos e pais”, declarou. 

Confira a entrevista: (clique aqui)

Informações do Jornal Correio Braziliense