MP pede que Polícia Militar proíba torcidas organizadas em estádios do DF

Casos de violência envolvendo as torcidas Ira Jovem e Facção Brasiliense levaram à recomendação. Cantos em referência às torcidas estão proibidos nos jogos.

0
90
PMs e torcedores após confronto no intervalo de jogo entre Flamengo e Palmeiras, em 2016, no DF — Foto: Polícia Militar/Divulgação

O Ministério Público do Distrito Federal pediu que a Polícia Militar proíba a entrada de torcidas organizadas em estádios da capital. A recomendação atinge as torcidas Ira Jovem – do Gama – e a Facção Brasiliense, do Brasiliense.

O documento foi assinado em janeiro, mas só foi divulgado nesta sexta-feira (15). A iniciativa é um ato conjunto entre as procuradorias do Cidadão, de Defesa do Consumidor e da Justiça Especial Criminal.

A Procuradoria de Defesa do Consumidor informou que acompanha casos de violência envolvendo as duas torcidas organizadas desde 2014 e diz que a situação “vem se repetindo ano a ano”. De acordo com a recomendação, “é indispensável a adoção de medidas para a prevenção da violência e para garantir a segurança dos torcedores”.

Carteira do torcedor

Segundo o MP, quando acatada, a proibição deve permanecer até que as organizações cumpram o as regras estabelecidas no Estatuto do Torcedor. O artigo 2º do regulamento estabelece que o grupo de torcedores deve apresentar o cadastro atualizado de seus associados ou membros, além da carteira do torcedor.

Dessa maneira, o Ministério Público afirma que será garantida a realização dos eventos esportivos “em condições adequadas de segurança”. O MP analisa, ainda, a possibilidade de estender a proibição para torcidas organizadas das outros estados.

O que está proibido

No documento consta que está proibido “qualquer sinal identificador da torcida” como camisa, bermuda, calça, boné, pochete, cordão, bandeira, faixa ou instrumentos musicais. Cantos em referência à grupo organizado também estão proibidos nos jogos e imediações.

Informações do Portal G1 DF