MPF e PF deflagram operação sobre vazamentos do Copom em favor de fundo do BTG

A instituição financeira teria recebido informações sigilosas sobre os resultados de reuniões do Copom ocorridas em 2010, 2011 e 2012

Em conjunto com o Ministério Público Federal, a Polícia Federal cumpre mandados de busca e apreensão na sede do banco BTG Pactual em São Paulo. A instituição financeira teria recebido informações sigilosas sobre os resultados de reuniões do Copom ocorridas em 2010, 2011 e 2012.  

De acordo com o MPF, a investigação, “instaurada a partir de colaboração premiada de Antônio Palocci, apura o fornecimento de informações sigilosas sobre alterações na taxa de juros Selic, por parte da cúpula do Ministério da Fazenda e do Banco Central, em favor de um fundo de investimento administrado pelo BTG PACTUAL, que, com elas, teria obtido lucros extraordinários de dezenas de milhões de reais”. 

As investigações apuram as possíveis práticas de corrupção passiva, corrupção ativa, informação privilegiada e lavagem de dinheiro. Após notícias sobre o vazamento, as ações Unit do BTG registraram queda de 5,6%. 

Informações do Jornal Correio Braziliense

PUBLICIDADE