- Publicidade -
- Publicidade -

Militares do Exército são presos suspeitos de fraudar Certificados de Registro de Arma de Fogo a Caçadores (CACs)

A Polícia Civil do Distrito Federal, por meio da Delegacia de Repressão a Roubos e Furtos (DRF), da Coordenação de Repressão aos Crimes Patrimoniais da PCDF, juntamente com o Exército Brasileiro, cumpriram 26 mandados de busca e apreensão para desarticular uma quadrilha formada por militares do Exército suspeitos de fraudar o Certificado de Registro de Arma de Fogo a Caçadores – Cacs, a fim de facilitar a aquisição de armamento para beneficiados pelo esquema.

Os militares integrantes da quadrilha foram presos em regiões administrativas de Samambaia, Ceilândia, Riacho Fundo, Planaltina, Estrutural, Núcleo Bandeirantes e Gama, no Distrito Federal, e em Luziânia, em Goiás. A ação foi batizada de Operação Cricket.

Além dos militares presos fazia parta da quadrilha dois servidores aposentados e um civil. Os militares envolvidos no caso eram da ativa e faziam parte do Sistema de Fiscalização de Produtos Controlados de algumas Organizações Militares.

De acordo com as investigações a quadrilha fornecia certificados fraudulentos no DF, Goiás e para o Tocantins. Durante a operação, foram apreendidas diversas armas com elevado poder de fogo, como fuzis e pistolas de grosso calibre. Além da Polícia Civil, viaturas da Polícia do Exército foram até endereços ligados aos militares e demais integrantes do grupo criminoso. Foram identificadas, até o momento, 18 integrantes. O Exército é responsável pela fiscalização de produtos controlados.

A Polícia Civil informou que o  Exército, contribuiu com as investigações conduzidas pela Delegacia de Repressão a Roubos e Furtos (DRF), da Coordenação de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Corpatri).

Da redação

Redaçãohttps://aderivaldo23.com
Portal Especializado em Segurança Pública e Política.
- PUBLICIDADE -

NOTÍCIAS RELACIONADAS

x
»
»