Operação Domus encerra primeiro mês com 1.308 abordagens na Capital

Encerrando o primeiro mês da Operação Domus, a quinta edição da ofensiva foi deflagrada pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), nesta sexta-feira (30), no residencial Cidade Jardim I, no bairro José Walter, Área Integrada de Segurança 9 (AIS 9) de Fortaleza.

Durante o mês de julho, sob condução da Coordenadoria Integrada de Planejamento Operacional (Copol) da SSPDS, foram cinco edições deflagradas em três residenciais nos bairros Ancuri e Prefeito José Walter, em Fortaleza. Todos os trabalhos foram direcionados por meio de pesquisas científicas realizadas pela Superintendência de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública (Supesp) da SSPDS.

As ações integradas, em cinco edições, resultaram em 1.308 abordagens a pessoas e veículos. As ofensivas resultaram ainda em 30 prisões em flagrante por furto de energia e também por cumprimento de mandados judiciais. Com apoio das Forças de Segurança do Estado, da Prefeitura de Fortaleza, da Enel Distribuição Ceará – concessionária de energia do Estado – foram realizadas 1.172 inspeções nos conjuntos habitacionais alvos da operação Domus.

Ainda no período, a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) fiscalizou a situação das tornozeleiras de 77 pessoas. Já o Departamento Estadual de Trânsito do Ceará (Detran-CE) apreendeu 40 veículos, como carros e motocicletas, por irregularidades.

Balanço de hoje

Somente na etapa deflagrada nesta sexta-feira, no Conjunto Habitacional Cidade Jardim I, a Polícia Militar do Ceará (PMCE) e a Polícia Civil do Estado do Ceará (PC-CE) abordaram 136 veículos e 106 pessoas. Ao todo, quatro pessoas foram presas em flagrante e dois inquéritos por furto de energia foram instaurados. A Enel realizou 308 inspeções e realizou 37 notificações por irregularidades. Já a Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) realizou nove atendimentos por furto de energia.

Conforme balanço apresentado pelo Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará (CBMCE), foram realizadas vistorias em 85 blocos, com irregularidades como ausência de sinalização de emergência, ausência de síndicos ou gestores para acompanhar as vistorias e obstrução de rotas de fugas, e ausência de luminárias de emergência.

A SAP, que também participou das edições anteriores, fiscalizou as situações de 13 equipamentos de monitoramento de apenados. O Detran-CE abordou 144 veículos, resultando em 39 autos de infração, três apreensões e um Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) com restrição.

Outras edições

A primeira edição aconteceu no conjunto habitacional Alameda das Palmeiras, no bairro Ancuri, Área Integrada de Segurança 3 (AIS 3) de Fortaleza, em 15 de julho de 2021. Na semana seguinte, em 21 de julho, agentes do Estado e da Prefeitura de Fortaleza foram ao Residencial Cidade Jardim I, no bairro Conjunto José Walter (AIS 9).

Na terceira e quarta edição, deflagradas em 23 e 28 de julho, respectivamente, a Operação Domus realizou ofensivas nos residenciais Alameda das Palmeiras I e Alameda das Palmeiras II, ambos no Ancuri.

Mobilização

Os trabalhos foram conduzidos pela Coordenadoria Integrada de Planejamento Operacional (Copol) da SSPDS. Ao todo, foram empregados homens e mulheres da Polícia Militar do Ceará (PMCE), da Polícia Civil do Estado do Ceará (PC-CE), da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce), do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará (CBMCE), da Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), da Secretaria de Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS), do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), da Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis), da Guarda Municipal de Fortaleza (GMF), da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), além de funcionários da Enel, concessionária de energia elétrica no Ceará.

A Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer), a Coordenadoria de Inteligência (Coin) e a Coordenadoria de Segurança Orgânica e Logística (Cosol) da SSPDS estiveram na ofensiva. Os trabalhos foram subsidiados a partir de dados elaborados pela Superintendência de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública (Supesp) da SSPDS.

Operação Domus

A operação tem por finalidade detectar irregularidades relacionadas a ameaças recebidas por moradores, furto de energia, pessoas com mandado de prisão em aberto e outras situações encontradas durante a ofensiva, como construções irregulares em áreas comuns dos moradores. As ações também visam reforçar saturações preventivas e fiscalização de indivíduos monitorados por tornozeleiras eletrônicas.

Domus é um termo em latim que significa domicílio. Com isso, a Operação Domus, deflagrada pela SSPDS, busca manter a sensação de acolhimento e bem-estar em conjuntos habitacionais.

Fonte: PCCE
Redaçãohttps://aderivaldo23.com
Portal Especializado em Segurança Pública e Política.

NOTÍCIAS RELACIONADAS