Operação da Polícia Civil prende grupo especialista em receptação de carga

Sete pessoas foram presas na manhã desta quinta-feira (3/10). Segundo a PCDF, investigados criavam empresas de fachada e ainda emitiam notas fiscais falsas

Quadrilha se organizava de forma calculista com divisões de tarefas, emissões de notas fiscais falsas e hierarquização

Polícia Civil deflagrou na manhã desta quinta-feira (3/10) a Operação Carga Pesada e prendeu sete pessoas por suspeita de crimes de roubos, furtos e receptação. O grupo, integrado por oito homens, é investigado desde 2018 pela revenda de mercadorias alimentícias que eram produtos de crimes.

“A apuração avançou quando os investigadores conseguiram identificar diversas empresas de fachada que a organização criminosa utilizava para ‘esquentar’ as mercadorias. Os criminosos roubavam diversos produtos de gêneros alimentícios e emitiam notas fiscais falsas com finalidade de dar aparência de legalidade às cargas subtraídas”, conta o delegado André Luís Leite.

A Polícia Civil procurou a Secretaria da Receita do Estado de São Paulo para verificar a emissão de documentos de uma dessas empresas falsas. Segundo informações do órgão paulista, o negócio de fachada emitiu um total de 1.198 documentos válidos, com um volume total de operações de saída de aproximadamente R$ 61 milhões.

A empresa criada para emissão de notas fiscais frias teve as atividades suspensas pela Secretaria da Receita. Um dos suspeitos ainda não foi localizado. O grupo tinha uma estrutura organizada com divisão de tarefas e estrutura hierarquizada, com lucros altos. Um veículo de luxo chegou a ser encontrado com os suspeitos.

Informações do Jornal Correio Braziliense

PUBLICIDADE