Reajuste para militares do DF será encaminhado em breve

A proposta de reajuste para policiais militares e bombeiros está em preparação no GDF e deve ser encaminhada logo para o governo federal. Porém, não era intenção do Executivo local que o texto fosse fechado por agora. A equipe econômica preferia acertar as contas antes de encaminhar o aumento. Mas houve pressão política causada pela declaração do presidente Jair Bolsonaro (PSL) de que só apoiaria a concessão da paridade da Polícia Civil com a Federal caso o reajuste fosse dado também a militares. Ficou insustentável segurar o texto por mais muito tempo. A proposta para a PCDF está no Ministério da Economia desde fevereiro.

A pergunta que não quer calar….

Quando as declarações dos filhos do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), vão deixar de criar sucessivas crises políticas no país?

Siga o dinheiro

R$ 2.418.720 – Contrato firmado pela Secretaria de Saúde com empresa para prestação de serviços de ressonância nuclear magnética com vigência de 12 meses

Projeção nacional

O desejo do MDB de emplacar uma candidatura do governador Ibaneis Rocha (MDB) à presidência da República é dependente de que o advogado consiga se destacar no cenário do país. Ibaneis terá de traçar estratégias para aparecer nacionalmente e competirá com outros possíveis candidatos muito mais conhecidos, como o governador de São Paulo, João Doria. Para isso, é fundamental agradar primeiro à população do DF. Sem um governo aprovado pelos brasilienses, será difícil decolar. A tarefa não é fácil, ainda mais levando-se em conta o fracasso dos antecessores na tentativa de se reeleger.

Primeira-dama em evidência

A primeira-dama do Distrito Federal, Mayara Noronha, também tem buscado mais holofotes. Ela está à frente de programas voltados para a primeira infância e representou o DF em algumas ocasiões. Nesta semana, participou de dois eventos importantes no cenário nacional: o anúncio de um programa de de cinema inclusivo no Ministério da Educação, em que se sentou ao lado do chefe da pasta e dividiu a mesa com a primeira-dama do país, Michelle Bolsonaro; e um evento em Goiás para o lançamento de uma plataforma on-line de voluntariado.

Lei do silêncio de volta

Multas aplicadas a um restaurante da Asa Norte trouxeram de volta a discussão sobre a Lei do Silêncio e os limites estabelecidos para a emissão de sons no Distrito Federal. De um lado, a posição de artistas e estabelecimentos que defendem que a música deve ser tolerada e não pode ser considerada barulho; e já organizam manifestações. De outro, o argumento de moradores que reclamam de excessos. Na Câmara Legislativa, o tema deve voltar ao debate em breve com um novo projeto sobre o assunto. Na legislatura passada, um PL que flexibilizava as regras foi engavetado após diversas tentativas de avaliar a questão.

GDF investiu R$ 5,8 milhões em manutenção de rodoviárias

Em 2019, a manutenção dos terminais rodoviários do DF custou cerca de R$ 5,8 milhões aos cofres do GDF. Os números são de valores liquidados e estão disponíveis no Portal da Transparência. Do total, R$ 961 mil foram investidos na Rodoviária do Plano Piloto. O local precisou de obras emergenciais depois de técnicos do governo detectarem problemas graves na estrutura. Havia risco até de desabamentos.

Mandou bem

Nova versão do Portal da Transparência do DF, lançada nesta semana pela Controladoria-geral do DF, facilita o acesso a informações relevantes para a população.

Mandou mal

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, ao levantar a possibilidade de uma edição de um novo AI-5 e insinuar um retorno ao período ditatorial.

Redução

O GDF encaminhou à Câmara Legislativa uma Proposta de Emendas à Lei Orgânica (Pelo) que reduz o percentual mínimo de investimento no Fundo de Apoio à Pesquisa do DF (FAP) de 2% para 0,3%. Segundo o Executivo, a dotação obrigatória no orçamento hoje é muito maior do que o investimento de fato empenhado. A mudança corrigiria essa distorção. A alteração enfrenta resistência de um grupo de distritais que elaborou nota contra a proposição. “A proposta coloca a capital do país na contramão do desenvolvimento e do caminho de sucesso de outros entes da federação”, diz trecho do manifesto. Fábio Félix (PSol), Arlete Sampaio (PT), Leandro Grass (Rede), Reginaldo Veras (PDT) e Chico Vigilante (PT) assinam o texto.

“A simples tentativa de cassar o mandato de um deputado por falar já é o próprio AI-6.”
Flávio Bolsonaro PSL-RJ), senador

“Ao falar de AI-6, o clã Bolsonaro mostra que não entende nada de democracia nem de História.”
Marcelo Freixo (PSol-RH), deputado federal

Informações do Jornal Correio Braziliense

PUBLICIDADE