Relatório da OMS aponta que 800 mil pessoas se suicidam por ano

Levantamento é divulgado na véspera do Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, celebrado em 10 de setembro

0
31
PASCALGENEST/GETTY

A cada 40 segundos, uma pessoa se suicida no mundo. Além de ser a segunda causa de morte mais comum entre jovens de 15 a 29 anos, 79% dos casos de suicídio se concentram em países de baixa e média renda. Os dados foram divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta segunda-feira (09/09/2019), na véspera do Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, lembrado em 10 de setembro.

Os números mostram que 800 mil pessoas acabam com a própria vida ao ano. Apenas no Brasil, foram registrados 13.467 casos de suicídio, dos quais 10.203 foram cometidos por homens. Apesar dos dados, a taxa global caiu 9,8% entre os anos de 2010 e 2016.

Entre as causas, o suicídio é a segunda causa de morte entre meninas de 15 a 29 anos que passaram por complicações na gravidez. Mais da metade dos casos no mundo (52,1%) ocorreram entre pessoas com menos de 45 anos. A publicação estuda o cenário mundial de 2016.

Nos países de alta renda, o índice é de 11,5 por 100 mil habitantes. Nesses locais, os homens lideraram as pesquisas e cometem suicídio quase três vezes mais do que as mulheres. Já a taxa global fica em 10,5 por 100 mil habitantes.

Entre os anos de 2010 e 2016, apenas as Américas apresentaram crescimento da taxa de suicídios, com um aumento de 6%. As regiões do Pacífico Ocidental e o Sudeste Asiático foram as que mais registraram queda, caindo 9,6% e 4,2%, respectivamente.

Causas e prevenção

Segundo o relatório, as principais formas de cometer suicídio foram enforcamento, envenenamento e uso de armas de fogo. De acordo com a OMS, restringir o acesso de tais meios a possíveis suicidas é uma das possibilidades para reduzir o número de casos.

A organização também recomenda que familiares e amigos identifiquem os primeiros sinais de um possível ato de suicídio e comecem imediatamente o acompanhamento da vítima em situação de risco. Além disso, o documento ressalta a importância da criação de programas que ofereçam ajuda a jovens que passam por problemas na vida.

De acordo com a OMS, apenas 38 países do mundo adotam estratégias de prevenção ao suicídio. Ao fim do documento, a organização cobrou que os países melhorem o sistema de contabilidade dos casos para que o assunto possa ser melhor estudado.

As pessoas que se percebem como potenciais suicidas, ou que precisam de ajuda devido a problemas de depressão e ansiedade, podem recorrer ao Centro de Valorização da Vida (CVV) gratuitamente. O canal de atendimento tem três mil voluntários e funciona 24h por dia. Basta ligar para o 188 e dar início ao tratamento.

Busque ajuda

Metrópoles tem a política de publicar informações sobre casos de suicídio ou tentativas que ocorrem em locais públicos ou causam mobilização social. Isso porque é um tema debatido com muito cuidado pelas pessoas em geral.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que o assunto não venha a público com frequência, para que o ato não seja estimulado. O silêncio, porém, camufla outro problema: a falta de conhecimento sobre o que, de fato, leva essas pessoas a se matarem.

Depressão, esquizofrenia e o uso de drogas ilícitas são os principais males identificados pelos médicos em um potencial suicida. Problemas que poderiam ser tratados e evitados em 90% dos casos, segundo a Associação Brasileira de Psiquiatria.

Está passando por um período difícil? O Centro de Valorização da Vida (CVV) pode te ajudar. A organização atua no apoio emocional e na prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo, por telefone, e-mail, chat e Skype 24 horas todos os dias.

Informações do Portal Metrópoles