29 C
Brasilia
segunda-feira, 9 de dezembro, de 2019, 13:02 PM

POLÍCIA MILITAR

Senado pode votar proibição de prisão administrativa a PMs e bombeiros

O Senado pode votar esta semana um Projeto de Lei (PL) que extingue a prisão administrativa de policiais militares e bombeiros como punição para transgressões disciplinares. O projeto está na pauta de votações do plenário para a próxima terça-feira (10) e foi relatado pelo senador Acir Gurgacz (PDT-RO). O projeto propõe que essas corporações sejam regidas por um código de ética e disciplina, aprovado por lei estadual específica. Além disso, esse código de ética deve regulamentar o devido processo administrativo-disciplinar, definir as sanções disciplinares e vedar a restrição de liberdade. O PL foi apresentado originalmente na Câmara, em 2014, pelo deputado Subtenente Gonzaga (PDT-MG) e pelo então deputado, hoje senador, Jorginho Mello (PL-SC). Na justificativa do projeto, os parlamentares afirmam que a Constituição de 1988, que encerrou o regime ditatorial, não contemplou policiais e bombeiros militares na garantia de direitos. “A cidadania ainda não chegou para os policiais e bombeiros militares. Isto porque, a partir de decretos estaduais – flagrantemente inconstitucionais – mantêm-se a pena de prisão para punir faltas disciplinares, sem que seja necessário sequer o devido processo legal. Basta uma ordem verbal do superior hierárquico”, justificaram os parlamentares no PL. Gurgacz acredita que o projeto valoriza o trabalho do policial, mantendo-os mais tempo em serviço. “Não é correto uma punição por algo simples, que acontece em quartéis, e tira a possibilidade de eles estarem atuando. Com isso, estamos atualizando essa lei, dando uma importância maior para os policiais militares e para os bombeiros”, disse o senador para a Agência Senado, quando o projeto foi apreciado pela Comissão de Constituição e Justiça, em 2017. O projeto foi aprovado na Câmara em outubro de 2015 e seguiu para o Senado. Depois de uma longa tramitação, ele foi incluído na ordem do dia do Senado. Informações do Site Agência Brasil

Equoterapia da PMDF promove o Natal do Reino Encantado

Na manhã deste sábado, dia 07/12/2019, o Centro de Equoterapia da PMDF antecipou as festas natalinas e promoveu no Comando de Policiamento Montado- CPMon, o Natal do Reino Encantado. O evento marca o término do ano letivo no Centro de Equoterapia e demonstra as diversas conquistas e evoluções dos praticantes de equoterapia. Neste ano o tema do evento foi o Natal do Reino Encantado, onde os praticantes, cerca 134 integrantes, entre crianças jovens e adultos, participaram de um torneio de Hipismo Adaptado onde todos ganharam o primeiro lugar, e receberam uma simbólica medalha de ouro. O evento contou com cerca de 350 pessoas, entre pais, mães, familiares, praticantes de equoterapia, professoras e policiais militares. O ponto alto do evento foi a entrada do Papai Noel, que chegou ao Centro de Equoterapia montado sobre o pônei, que alegrou e encantou todo o público. O término do ano letivo e o natal no Centro de Equoterapia da PMDF não foi somente mais uma data no calendário letivo, mas sim um dia especial e muito emocionante, onde os policiais e diversos profissionais envolvidos, mostraram que as limitações físicas ou psíquicas são superadas por meio de um Reino Encantado, construído com amor, carinho, afeto e dedicação à todos aqueles que precisam de nós, afinal, Polícia Militar é muito mais que segurança. Informações do Site PMDF

Rotam: resultados efetivos em 2019

O ano de 2019 foi de muita produtividade para o Batalhão de Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (ROTAM) da PMDF. Neste ano foram 473 flagrantes/PAAI, 815 presos e apreendidos,117 foragidos presos, 152 armas de fogo apreendidas,185 celulares recuperados, 180 veículos recuperados e mais de 6 milhões de reais em bens recuperados. A produtividade apresentada pela Unidade se deu em diversas operações e intensificações de policiamento nas mais variadas regiões do DF e alcançou números bastante expressivos em relação ao mesmo período do ano anterior. Em destaque, no mês de novembro foram registradas 71 ocorrências, 42 flagrantes/PAAI, 85 presos apreendidos,13 foragidos, 23 apreensões de armas de fogo, 13 celulares recuperados e 60kg de drogas apreendidas. Houve também, 22 veículos recuperados e mais de 600 mil reais em bens recuperados. Os números são importantes e demonstram o empenho e compromisso dos policiais militares em promoverem a segurança no Distrito Federal. Informações do Site PMDF

PMDF recebe prêmio por atingir 100% de transparência ativa

A Policia Militar do Distrito Federal foi um dos órgãos premiados pela Controladoria-Geral do Distrito Federal (CGDF), na quinta-feira (5) a tarde, no Palácio do Buriti em solenidade de Premiação do índice de Transparência ativa.  O reconhecimento é por alcançar 100% de Transparência ativa, com fornecimento de informações dos gestores públicos para a sociedade. O Governo do Distrito Federal (GDF), por meio da Controladoria-Geral do DF, estabeleceu o índice de Transparência Ativa (ITA), para mensurar o grau de cumprimento da Lei de Acesso à Informação (LAI) pelos órgãos e entidades do Poder Executivo. Na ocasião o Governador em exercício Pacco Brito, ressaltou o compromisso do governador Ibaneis Rocha em implantar ações para atender ao clamor da população e reduzir casos de improbidade administrativa, fraudes e dilapidação do patrimônio público. “Uma delas foi a criação do Fundo de Combate à Corrupção por meio da lei 3.335 publicada no último dia 23 de julho no Diário Oficial do DF. Trata-se de um suporte administrativo e financeiro para financiar programas destinados à prevenção e fiscalização de práticas ilícitas na gestão pública”. A Controladoria Geral entregou uma placa alusiva à conquista aos representantes dos órgãos que ficaram em primeiro lugar no Ranking de Transparência Ativa 2019. De acordo com as estatísticas do ranking, as autarquias e empresas públicas e de sociedade mista cumpriram 100% do índice, os órgãos autônomos e especializados 89%, secretarias de estado 87%, fundações públicas 85% e administrações regionais 70%. O índice foi criado em dezembro de 2015 para estimular a transparência pública e o cumprimento da lei de acesso à informação, por meio da competição saudável entre os órgãos e entidades. A Polícia Militar do Distrito Federal cumpriu os requisitos que comprovam 100% de transparência ativa e tem possibilitado a cada dia o maior acesso às informações, de forma transparente e excessiva para o cidadão. Informações do Site PMDF

Polícia Militar inicia operação de fim de ano, com reforço no efetivo

A Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) deu início hoje, oficialmente, à Operação PIN — Policiamento de Intensificação Natalina. Inicialmente, a operação trabalha com escala de serviço voluntário do efetivo e visa a ampliação do policiamento ostensivo no período de fim de ano. Caso não seja possível a captação para o regime voluntário, serão realizadas escalas de serviço especial. O Coronel Agrício da Silva, chefe do Departamento Operacional da PMDF, explica que o objetivo da operação é intensificar o policiamento em todas as áreas comerciais e bancárias. “Nesta época, a população procura mais o comércio para compras de final de ano. Além de buscarem, também, mais as agências bancárias. Então a finalidade é intensificar o policiamento ostensivo, através do policiamento preventivo, para garantir a segurança da comunidade", justifica.  Segundo a PMDF, serão cerca de 750 policiais a mais desegunda-feira a sexta-feira e 1.500 nos fins de semana. O contingente será dividido para todas as regiões administrativas. A operação vai até 10 de janeiro. Dicas de segurança Coronel Agrício da Silva, chefe do Departamento Operacional da Polícia Militar do Distrito Federal dá dicas de segurança O Coronel Agrício da Silva reforça que a população deve estar atenta e dá algumas dicas para evitar furtos e assaltos:  - Evitar sacar, em agencias bancárias, valores altos de uma vez só;  - Evitar passar senhas ou códigos bancários;  - Estar atento às localidades de saque, visando proteger-se do golpe “saidinha de banco”;  - Manter-se atento às sacolas de compras; - Atenção em estacionamentos.   Informações do Jornal Correio Braziliense

POLÍCIA CIVIL

Delegacia do Riacho Fundo ganhará núcleo de atendimento à mulher

A 29ª Delegacia de Polícia (Riacho Fundo) ganhará um Núcleo Integrado de Atendimento à Mulher (NUIAM). A iniciativa da Polícia Civil visa o enfrentamento da violência contra o público feminino. A ideia é proporcionar atendimento mais humanizado e eficiente para amparar a vítima e proporcionar a ela condições de interromper o ciclo de agressões. A inauguração do NUIAM será às 15h desta segunda-feira (9/12). A 29ª DP será a primeira unidade policial do Distrito Federal a receber o NUIAM. No local, haverá espaço exclusivo para acolher as mulheres vítimas de violência. Além do registro de ocorrência, elas receberão atendimento psicológico, assistência jurídica e social. Os serviços serão disponibilizados por meio de parcerias firmadas com o Juizados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher do Tribunal de Justiça do DF e Territórios (TJDFT), com as Promotorias de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher do Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT), Conselho Tutelar e Universidade Católica de Brasília (UCB). Precisa de ajuda? Saiba onde conseguir em atendimento, caso esteja em situação de violência:  Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência — Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República  Telefone: 180 (disque-denúncia) Centro de Atendimento à Mulher (Ceam)  » De segunda a sexta-feira, das 8h às 18h » Locais: 102 Sul (Estação do Metrô), Ceilândia, Planaltina Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam)  » Entrequadra 204/205 Sul - Asa Sul (61) 3207-6172 Disque 100 — Ministério dos Direitos Humanos  Telefone: 100 Programa de Prevenção à Violência Doméstica (Provid) da Polícia Militar**  Telefones: (61) 3910-1349 / (61) 3910-1350 Informações do Jornal Correio Braziliense

Em ação do Sinpol-DF, TJ proíbe escala de agentes de polícia para escolta de menores

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) determinou, no fim do último mês de novembro, que os agentes de polícia da Polícia Civil do DF (PCDF) não sejam escalados para realizar escoltas hospitalares de menores apreendidos. Provocado pelo Sinpol-DF, o processo questionava a Ordem de Serviço (OS) 12/2019, que estabeleceu escala de trabalho, em regime de plantão, para a realização de escolta hospitalar de adolescentes apreendidos que fossem internados na rede hospitalar. Segundo o sindicato, a escala de sobreaviso de agentes de polícia para atuarem com essa finalidade era uma conduta generalizada na PCDF. Para a entidade, no entanto, a situação é ilegal, uma vez que não existe qualquer legislação que tenha atribuído tal função ao cargo. Por meio da Procuradoria do Distrito Federal, a PCDF, por sua vez, argumentou que determinadas atribuições exercidas pelos agentes policiais de custódia poderiam ser desempenhadas pelos agentes de polícia e vice-versa – defendendo que são carreiras análogas, com atribuições “muito semelhantes”. Já a juíza Sandra Cristina de Lira, da 6ª Vara da Fazenda Pública do DF, teve um entendimento diferente. Ela ressaltou que “a designação de agente de polícia civil para o exercício de escolta de preso configura desvio de função independentemente da natureza da prisão e do local em que é cumprida”. A magistrada recomendou, ainda, a suspensão de sindicância administrativa instaurada contra policiais que tenham se recusado a cumprir “ordem ilegal para a escolta de preso”. Apesar de considerar positiva a determinação para que não ocorra mais esse tipo de indicação, o Sinpol-DF entende que a medida deve ser ampliada aos agentes policiais de custódia. Por meio de sua Diretoria Jurídica, a entidade estuda uma forma de questionar judicialmente as escoltas de menores apreendidos. Para o sindicato, ainda que “executar a escolta de presos em ambientes hospitalares” seja uma das atribuições do cargo, ela não se estende aos menores infratores. Nesses casos, a atribuição recai sobre os agentes do Sistema Socioeducativo. Informações do Site SINPOL DF

BOMBEIRO MILITAR

Senado pode votar proibição de prisão administrativa a PMs e bombeiros

O Senado pode votar esta semana um Projeto de Lei (PL) que extingue a prisão administrativa de policiais militares e bombeiros como punição para transgressões disciplinares. O projeto está na pauta de votações do plenário para a próxima terça-feira (10) e foi relatado pelo senador Acir Gurgacz (PDT-RO). O projeto propõe que essas corporações sejam regidas por um código de ética e disciplina, aprovado por lei estadual específica. Além disso, esse código de ética deve regulamentar o devido processo administrativo-disciplinar, definir as sanções disciplinares e vedar a restrição de liberdade. O PL foi apresentado originalmente na Câmara, em 2014, pelo deputado Subtenente Gonzaga (PDT-MG) e pelo então deputado, hoje senador, Jorginho Mello (PL-SC). Na justificativa do projeto, os parlamentares afirmam que a Constituição de 1988, que encerrou o regime ditatorial, não contemplou policiais e bombeiros militares na garantia de direitos. “A cidadania ainda não chegou para os policiais e bombeiros militares. Isto porque, a partir de decretos estaduais – flagrantemente inconstitucionais – mantêm-se a pena de prisão para punir faltas disciplinares, sem que seja necessário sequer o devido processo legal. Basta uma ordem verbal do superior hierárquico”, justificaram os parlamentares no PL. Gurgacz acredita que o projeto valoriza o trabalho do policial, mantendo-os mais tempo em serviço. “Não é correto uma punição por algo simples, que acontece em quartéis, e tira a possibilidade de eles estarem atuando. Com isso, estamos atualizando essa lei, dando uma importância maior para os policiais militares e para os bombeiros”, disse o senador para a Agência Senado, quando o projeto foi apreciado pela Comissão de Constituição e Justiça, em 2017. O projeto foi aprovado na Câmara em outubro de 2015 e seguiu para o Senado. Depois de uma longa tramitação, ele foi incluído na ordem do dia do Senado. Informações do Site Agência Brasil

Heroína e influencer: Instagram de cadela-bombeira exibe rotina de salvamentos

Mel Bombeira é uma cadelinha que além de heroína, agora é influencer digital. Em um perfil no Instagram seu tutor, o soldado bombeiro Fernando Almeida, 28 anos e a mulher, a cientista de alimentos Bruna Sumenssi Xavier, 24, publicam registros do cotidiano de treinamentos e salvamentos. Segundo Almeida, não é comum um cão de resgate do Corpo de Bombeiros Militar ter conta nas redes sociais, mas a repercussão sinaliza que há curiosidade e encantamento no universo da doce guerreira. “Não é habitual, mas em Santa Catarina, por exemplo, já tem. E por aqui, a ideia surgiu para mostrar à comunidade que a Mel existe, um cão de resgate, que tem dois prêmios nacionais, duas certificações, e que trabalhou 30 dias em Brumadinho”. O perfil foi criado em março deste ano e, sem impulsionamento de publicações, Mel já conquistou 1500 seguidores apaixonados pelo trabalho dela. A cadela labradora é a única treinada para resgate do Comando Reginal II – Rondonópolis (220 km de Cuiabá), mas mora em Jaciara (150 km da Capital), na casa do tutor. Um presente certeiro Mel foi enviada para Jaciara como uma doação ao Corpo de Bombeiros quando tinha apenas quatro meses. O soldado Almeida ficou responsável por ela e a levou para casa, onde ela é considerada membro da família. Ela foi o primeiro cão do bombeiro, que está há cinco anos na corporação. Aos quatro anos, Mel é “operante”, ou seja, certificada pela Liga Nacional de Bombeiros (LIGABOM). “Mel é certificada para busca urbana e rural e, para isso, foi submetida a uma prova onde ela e o tutor foram avaliados na busca, obediência e destreza”. Agora, diariamente ela passa por treinos físicos, como corrida, retriever com bola e natação. Além disso, uma ou duas vezes por semana ela faz o treino de busca, tanto de vítima viva, como de cadáver. Pronta para ajudar Ao todo, Mel já participou de cerca de 12 ocorrências em Mato Grosso, sendo que só na última semana ela participou de duas. Ela é treinada para a técnica de venteio, quando o cão faz a busca sem odores de referência, sinalizando para qualquer pessoa que esteja perdida no local, não precisando do cheiro de uma vítima específica. Em suas ações, ela já localizou vítimas vivas, em óbito e até mesmo pessoas submersas. E Mel ainda é requisitada como apoio à Polícia Judiciária Civil quando solicitada. Especialmente neste ano, Mel fez parte de uma grande ação. Ela foi enviada para Brumadinho, onde ficou 30 dias. Lá, encontrou um corpo inteiro submerso, indicando o local para escavação, além de mais alguns segmentos. Bombeira e influencer digital Desde que Mel se tornou uma heroína dos bombeiros, empresas da cidade já começaram a ajudar em sua criação, mas depois que ganhou um perfil no Instagram, ela ganhou ainda mais apoio. “Hoje a Mel conta com parceiros aqui...

POLÍTICA

Brasília inaugura a maior árvore natalina do Brasil

A música ditava o ritmo dos refletores, numa sincronia de cores que pareciam dançar sob o céu – ainda que chuvoso – de Brasília. Assim foi dada a largada para o Natal Sempre Monumental, espetáculo inédito na cidade que vai colocar a capital do país no calendário nacional das festas de final de ano com atrações para moradores e visitantes. Foi só o botão ser acionado por volta das 21h para que uma explosão de luzes tomasse conta do Eixo Monumental. Um evento que começou neste domingo (8) e que transformou um dos símbolos postais de Brasília, do alto de seus 224 metros, na maior árvore de Natal do país. São 500 refletores entre moving lights e de LED coloridos. Idealizado pela Fecomércio e realizado em parceria com o Governo do Distrito Federal (GDF), o Natal Sempre Monumental conta com o apoio da Companhia Energética de Brasília (CEB) e patrocínios do BRB Card, da Financeira BRB, e da Terracap. “Um presente para os brasilienses às vésperas do aniversário de 60 anos da nossa capital. A cidade merecia um evento dessa magnitude”, declarou o governador em exercício do Distrito Federal, Paco Britto. Além do governador em exercício, estiveram na festa de inauguração os secretários de Governo José Humberto; de Turismo Vanessa Mendonça; de Projetos Especiais Everardo Gueiros; e os presidentes da CEB, Edison Farias, do BRB, Paulo Henrique Costa; e da Fecomércio, Francisco Maia. Projeto A ideia inicial era de que a estrutura de iluminação e montagem da árvore fosse na Esplanada dos Ministérios, até que Abel Gomes, cenógrafo e idealizador de eventos como a queima de fogos de Copacabana no Rio de Janeiro, teve a sacada. “Nós já temos uma árvore de Natal em Brasília, um símbolo maravilhoso que lugar nenhum do país tem e que pouca gente aproveita. Vamos montar a árvore lá”, contou ele. Música e fogos E não deu outra. A chuva deu trégua no início do espetáculo que começou com a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro junto às apresentações da primeira bailarina do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Claudia Mota, e do primeiro bailarino do Teatro Colón (Buenos Aires/AR), Federico Fernandez. Em seguida, foi a vez da cantora sertaneja Naiara Azevedo. “Brasília passou muito tempo sem montar um Natal legal em que pudéssemos ficar na cidade e curtir. É um acerto do governo do DF”, comemorou o comerciário Wanderley Almeida, de 39 anos. Junto com a mulher, o filho, a irmã e o cunhado, ele saiu de Planaltina só para ver a torre iluminada e os shows. O mesmo fez o mestre de obras Gleison Farias, de 30 anos. Morador do Riacho Fundo, ele, a esposa Rafaely Carvalho, 27, e as filhas Vitória, 10, e Ana Clara, 9, se sentiam privilegiados por estarem...

Marcha pelo fim da violência contra as mulheres toma Avenida Paulista

Centenas de mulheres participaram na manhã deste domingo (8), na Avenida Paulista, da terceira edição da Caminhada pelo Fim da Violência contra as Mulheres. A mobilização ocorre em mais 26 cidades brasileira e em alguma localidades do exterior. A caminhada é uma ação pelos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres e foi organizada pelo Grupo Mulheres do Brasil. As participantes da marcha reuniram-se na Praça do Ciclista, onde ocorria também a exposição ao ar livre Corpos das Penhas, que simulavam corpos de mulheres e incluíam informações como o nome da vítima, idade, número de filhos e o tipo de arma com que cada uma foi assassinada. Todas as informações ilustram casos reais. “O objetivo dessa caminhada é levar para a sociedade uma conscientização ampla da gravidade do problema que é a violência contra a mulher, sob todas as suas formas”, disse Raquel Preto, que representa o Comitê de Combate à Violência do Grupo Mulheres do Brasil. “Tomar um empurrão do marido, ou um tapa, não é normal. Essa naturalização não pode existir. E é esse o objetivo de uma caminhada como essa: deixar muito claro para toda mulher que não é natural apanhar, tomar um soco ou ser estuprada”, acrescentou. “A cada duas horas, uma mulher é vítima de feminicídio. A cada hora, quatro meninas são vítimas de estupro. Então, não podemos ficar quietas. Temos que nos manifestar para pedir políticas públicas que visem combater o fim da violência contra a mulher”, disse Elizabete Scheibmayr, que também representa o Comitê de Combate à Violência do Grupo Mulheres do Brasil. Raquel e Elizabete incentivam as mulheres que forem vítimas de violência a procurar as redes de apoio disponíveis para se fortalecer e para que denunciem a violência. “A primeira coisa é ter coragem, saber que há uma rede de apoio e denunciar a violência. E quem também vê a violência precisa denunciar. Tem que meter a colher sim”, disse Elizabete. “A mulher deve procurar ajuda. Ela deve ir a uma delegacia de polícia, a um CRAS (Centro de Referência de Assistência Social), que oferece serviços sociais de apoio. Se ela for vítima de violência sexual, deve procurar um hospital, procurar apoio de amigas e familiares e ter força para denunciar e não aceitar mais o ciclo de violência”, acrescentou. Vestidas com uma camiseta laranja com dizeres que pediam o fim do feminicídio e da violência e com gritos de Juntas, Somos Mais Fortes e Eu Meto a Colher, Sim, as mulheres caminharam até a Casa das Rosas, onde o ato foi encerrado com uma salva de palmas. Informações do Site Agência Brasil

Rio tem primeira Caminhada pelo Fim da Violência contra as Mulheres

O Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro, recebeu hoje (8) a primeira Caminhada pelo Fim da Violência contra as Mulheres, movimento promovido pelo Grupo Mulheres do Brasil e que já ocorre pelo terceiro ano consecutivo em São Paulo. A mobilização reuniu centenas de pessoas vestidas de laranja, cor escolhida para marcar os “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres”, tema da campanha internacional apoiada pela Organização das Nações Unidas (ONU). Na avaliação da líder do Grupo Mulheres do Brasil no estado do Rio de Janeiro, Andréa Carvalho, o Aterro foi tomado por uma “onda laranja”. O objetivo é mobilizar a sociedade para levantar a bandeira do combate à violência contra a mulher. A empresária e modelo Luiza Brunet, vítima de maus tratos pelo ex-companheiro, compareceu ao evento. “A estrutura de uma caminhada como essa é para que a gente faça realmente um apelo para a sociedade de uma conscientização coletiva para a importância desse assunto, desses movimentos em que as pessoas têm acesso à informação e que estejam participando. Eu, como vítima, como mulher, como cidadã, e, agora, como ativista em prol da causa feminina, acho muito importante”, disse Luiza à Agência Brasil. Coordenadora da Ordem dos Advogados do Brasil seccional RJ Mulher (OAB Mulher), Marilha Boldt, afirmou que a mulher precisa se sentir abraçada pelo sistema e contar com uma rede de apoio para ter condições de reagir e superar episódios de violência. “Vivi por vários anos todas as formas de violência. Foi descumprida a medida protetiva. Na época, não tinha prisão para quem descumpria . Passei por diversos percalços. Mas hoje estamos aí para dizer a todo mundo que é possível superar, sim, a violência doméstica. Ela não vai determinar o futuro da mulher, mas a superação, sim, vai determinar a nova página da vida dessas mulheres”. Empoderamento Para a ativista Lu Rufino, uma das embaixadoras do Grupo Mulheres do Brasil, participar da caminhada é uma forma de as mulheres agredidas mostrarem sua cara enquanto cidadãs. “Não dá para ficar em casa reclamando que as coisas não acontecem. A gente tem que vir para a rua e dizer que não aceita ser agredida. Porque a cada dois minutos, cinco mulheres são agredidas no Brasil. E a maioria delas tem algum tipo de deficiência, porque o agressor é sempre um covarde. Ele prefere agredir uma mulher que tem a mobilidade reduzida, porque fica mais difícil ter uma reação”. Lu Rufino é uma das criadoras do Miss Brasil Cadeirante. O intuito do evento é empoderar mulheres que, muitas vezes, tem a deficiência provocada após insistentes agressões do companheiro. Ela citou como exemplo a farmacêutica Maria da Penha que ficou tetraplégica, em 1983, após uma tentativa de homicídio por parte do ex-marido. Hoje, ela batiza a Lei 11.340/2006, que prevê punição para casos...

Seis senadores gastaram R$ 200 mil com querosene para aviões

Seis senadores gastaram quase R$ 200 mil (R$ 197.032) com combustível para avião desde fevereiro de 2019 até o início do mês de dezembro. Em comparação com o preço médio do querosene de aviação no ano (R$ 2,21, segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) as aeronaves foram abastecidas com 89.154,75 litros. Durante o mesmo período, os parlamentares também gastaram R$ 348.501,54 com passagens aéreas em voos comerciais. Segundo levantamento do (M)dados, núcleo de análise de grande volume de informações do Metrópoles, o parlamentar mais gastador foi Ciro Nogueira (PP-PI), responsável por 53,51% do valor total. Ele abasteceu 24 vezes e desembolsou R$ 105.438,09. Foram analisados os números atualizados pelo Senado Federal, mediante nota fiscal entregue pelos congressistas. Na segunda posição do ranking dos mais gastadores está Wellington Fagundes (PL-MT), que desembolsou R$ 32.365,50. E, para fechar o pódio, José Maranhão (MDB-PB), com R$ 23.014,89. Os últimos da lista são o senador Acir Gurgacz (PDT-RO), que gastou R$ 22.886,67; Jayme Campos (DEM-MT), com R$ 8.841,60 e, no último lugar, Angelo Coronel (PSD-BA), R$ 4.485,25. O valor total desembolsado pelos congressistas é equivalente, por exemplo, ao gasto de uma viagem do Rio de Janeiro a Paris, com 320 pessoas, em um Boing 777-200. O cálculo feito leva em consideração o FOM (Flight Operation Manual) do Boeing 777, caso ele pese 420 mil libras em uma altitude de 39.000 pés, a média de um voo de cruzeiro. Além disso, foi utilizada a densidade padrão do combustível, que é 0,8028 kg/litro. As despesas com o combustível são custeadas pela cota parlamentar, cujos valores variam para cada estado da Federação, entre R$ 30 e R$ 44 mil. O benefício reúne as verbas indenizatórias, que incluem gastos com o gabinete e com o exercício legislativo, e as verbas de transporte aéreo. Custos com passagens De acordo com o levantamento, além do custo com aeronaves particulares, os senadores gastaram também com a emissão de bilhetes aéreos. Entre os seis parlamentares, o que mais gastou com viagens foi José Maranhão, com R$ 109.614,34. O mais “econômico” foi Ciro Nogueira, com R$ 58.792,37. Entre os dois senadores, por sua vez, está Wellington Fagundes, com R$ 68.930,42. À reportagem, a assessoria de imprensa de Maranhão afirmou que “todos os gastos foram feitos legalmente, uma vez que os gastos com locomoção são previstos nas cotas parlamentares”. A equipe de Ciro Nogueira se limitou a dizer que ele precisa viajar pelo estado e há algumas localidades às quais voos comerciais não têm alcance. A assessoria de imprensa de Wellington Fagundes afirmou que a cota utilizada está dentro do limite permitido e foi destinada para deslocamentos aéreos em trechos que não possuem oferta de voos regulares, “para cumprimento de agenda parlamentar”. “O uso de sua aeronave (EMB-810 C – Seneca II) se faz necessário, visto que Mato...

CONCURSOS

132 concursos abertos oferecem 4.748 vagas locais e federais

Nesta semana, o caderno Trabalho & Formação Profissional preparou lista com 132 concursos e 4.748 vagas, mais cadastros de reserva, em órgãos locais e federais. No Distrito Federal, há dois concursos com inscrições abertas e 41 vagas. Entre os nacionais, são 6 certames abertos para 2.626 vagas mais cadastro de reserva. No Centro-Oeste, são 17 processos seletivos, com 1.745 chances, mais cadastros de reserva, nos estados de Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. No âmbito das universidades federais, são 90 processos seletivos e 309 oportunidades, mais cadastro de reserva. Os institutos federais oferecem 17 concursos e 27 postos vagos. LOCAIS — DISTRITO FEDERAL SECRETARIA DE ESTADO DE ECONOMIA DO DISTRITO FEDERAL - SEEC/DF Inscrições até 19 de dezembro no site: www.cebraspe.org.br. Concurso com 40 vagas para o cargo de auditor fiscal. Salário: R$ 14.970. Taxa: R$ 55. Edital: bit.ly/2PYKAh9. CONSELHO REGIONAL DE ODONTOLOGIA (CRO-DF) Inscrições até 13 de janeiro no site: www.quadrix.org.br. Concurso com uma vaga mais cadastro de reserva para fiscal (1). Salário: R$ 3.500. Taxa: R$ 55. Edital: bit.ly/2rCn1Ri. NACIONAIS CONSELHO FEDERAL DE ODONTOLOGIA (CFO) Inscrições até 9 de dezembro no site: www.quadrix.org.br. Concurso com 125 vagas para agente operacional (duas efetivas + 18 cadastros de reserva), técnico administrativo (quatro efetivas e 36 cadastros de reserva), técnico arquivo (15 cadastros de reserva), administrador (uma efetiva e 14 cadastros de reserva), procurador jurídico (uma efetiva e 14 cadastros de reserva) e contador (duas efetivas e 18 cadastros de reserva). Salários: entre R$ 2.000 e R$ 7.500. Taxas: entre R$ 65 e R$ 80. Edital: bit.ly/2K4rRwT. EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES (EBSERH) 1 Inscrições até 10 de dezembro pelo site www.ibfc.com.br. Concurso com 1.660 vagas para médicos (533), assistência social (998) e área administrativa (129). Salários: entre R$ 2.451 e R$ 10.350. Taxa: entre R$ 80 e R$ 240.  EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES (EBSERH) 2 Inscrições até 10 de dezembro pelo site www.ibfc.org.br. Concurso com 804 vagas para médicos (216), área assistencial (475) e área administrativa (113) do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU). Salários: entre R$ 2.451 e R$ 10.350. Taxa: entre R$ 80 e R$ 240. Edital: bit.ly/2qpq9PE. HOSPITAL DAS FORÇAS ARMADAS (HFA) Inscrições entre até 16 de dezembro no site: www.quadrix.org.br. Concurso com 32 vagas em residência médica, mais cadastro de reserva para as áreas de anestesiologia (2), clinica medica (9), obstetricia e ginecologia (1), oftalmologia (2), otorrinolaringologia (1), ortopedia e traumatologia (1), psiquiatria (2), radiologia (1), cardiologia (2), cirurgia plástica (2), coloproctologia (1), gastroenterologia (1),...

Reta final de preparação para concurso dos bombeiros na Bahia

Milhares de candidatos se preparam para as provas do concurso do Corpo de Bombeiros Militar do Estado da Bahia. Segundo o edital, serão selecionados 250 homens e mulheres. Os salários vão de 2.251,37 até R$ 3.410,68. A banca é o Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC), que realizará a seleção em 19 de janeiro de 2020. As vagas são para candidatos com nível médio completo. O site do Corpo Militar de Bombeiros da Bahia traz mais informações sobre as provas. Especialistas recomendam aos candidatos aproveitar o período de festas de fim de ano para fazer as revisões do conteúdo e não exagerar, pois é preciso manter a forma para as provas físicas. Informações do Portal Metrópoles

Confira os próximos concursos previstos para carreira de delegado

Bacharéis em direito que estudam para concursos públicos e desejam ingressar na carreira de delegado têm diversos motivos para comemorar. Mais de 740 vagas estão previstas para concursos para a carreira, oportunidades que já foram anunciadas ou autorizadas em diversas regiões do país. Além dos editais publicados ao longo do ano, pelo menos nove estados estão com concursos anunciados ou em andamento e terão novas oportunidades que serão ofertadas em breve. Em alguns casos, os editais não exigem nem prática jurídica ou atividade policial, favorecendo candidatos que acabam de concluir a graduação. Confira os concursos previstos por região: Sudeste São Paulo: A Polícia Civil do Estado de São Paulo (PC-SP) deve publicar até 2020 um novo edital com oferta de 2.939 vagas, sendo 250 para delegado. O certame aguarda a formação das comissões internas para dar início aos trâmites do concurso, o que deve ocorrer logo, uma vez que houve uma autorização por parte do governador João Doria para determinar o preenchimento das vagas até o ano que vem. Desta forma, após formadas as comissões, o próximo passo será escolher a banca organizadora. Rio de Janeiro: O governo do Estado do Rio de Janeiro está prestes a realizar um novo concurso público para a carreira de Delegado da Polícia Civil do Rio de Janeiro (PC-RJ). Conforme publicado nas redes sociais oficiais do órgão, os nomes dos membros das bancas examinadoras já foram definidos, assim como a comissão do certame. No início de novembro, foi publicada no Diário Oficial Estadual uma nova portaria com 864 vagas autorizadas para a realização do concurso público. Dessas, 47 vagas são para ingresso na carreira de Delegado de Polícia (3ª Classe) do quadro permanente da PC-RJ. Poderá ainda haver formação de cadastro de reserva. Sul Paraná: O Governador do Estado do Paraná, Ratinho Júnior, autorizou a realização de dois novos concursos para Polícia Civil do Estado do Paraná (PC-PR). São 50 vagas para o cargo de delegado de polícia e 300 vagas para o cargo de Investigador de Polícia. O edital do próximo concurso está em fase de elaboração. De acordo com a assessoria do órgão, assim que o edital estiver pronto, será divulgado pela corporação e pela Secretaria de Segurança. Norte Pará: A Polícia Civil do Estado do Pará (PC-PA) divulgou os nomes dos membros da nova comissão que ficará responsável pela licitação para contratação da banca organizadora do próximo concurso. Além da comissão de licitação, também foi divulgado o extrato de edital de concorrência pública. De acordo com o documento, as empresas têm...

ESPORTES

CIDADES

POLÍCIA FEDERAL

GUARDAS MUNICIPAIS

TRÂNSITO

OCORRÊNCIAS POLICIAIS

POSTS MAIS LIDOS

O Distrito Federal perdeu em quarenta e quatro dias o equivalente a onze Batalhões da PM

No ano de 2008 o Blog Policiamento Inteligente apresentou um relatório sobre o efetivo da Polícia Militar do Distrito Federal. Neste período, o efetivo era de 15.206 homens e mulheres. De lá para cá, ocorreram a formação de 4 turmas do Curso de Formação de Praças (foram realizados dois concursos), ocorreu uma reestruturação da Corporação e vários "batalhões" foram criados, mas o efetivo gira em torno de um pouco mais de 12 mil homens e mulheres.  Vários candidatos ao governo do Distrito Federal prometeram fazer concursos para ingresso de mil policiais por ano, dentre eles: Arruda, Agnelo e Rollemberg,  mas foram apenas promessas não cumpridas.  No dia de ontem uma listagem de 103 policiais, publicada no DODF, fez com que o número de policiais aposentados somente no ano de 2017 ultrapassasse mil e cem policiais. É como se 11 (onze) Batalhões da Cidade Estrutural tivessem sido fechados somente este ano. Um dos fatores que tem influenciado os Policiais Militares a pedirem a reserva remunerada é o medo de modificações na lei previdenciária que será discutida até julho. Além disso, a falta de perspectivas de promoções na Corporação também tem contribuído para a aposentadoria em massa. Grande parte dos policiais que estão aposentando são subtenentes e sargentos que não veem mais possibilidades de promoções nos próximos anos. A falta de fluidez na carreira é o grande desmotivador para os policiais mais experientes. Este ano a quantidade de aposentadorias pode ultrapassar dois mil pedidos. A previsão é de que 5 mil policiais militares deixem a corporação nos próximos três anos. Um fato assustador, já que a lei 12.086/09 limita a quantidade de soldados a apenas 5.564, sendo assim, nos próximos 3 anos o governo está limitado a chamar apenas três mil e quinhentos novos soldados. Veja quantos policiais foram aposentados nos últimos 44 dias com base nas publicações do DODF, com seus respectivos dias e quantitativo de PM´s aposentados: 02.01.2017= 134 - 09.01.2017= 40 - 13.01.2017= 74 -18.01.2017= 79 - 20.01.2017= 74 - 23.01.2017= 74 - 25.01.2017= 60 - 27.01.2017= 94 - 03.02.2017=273 - 13.02.2017=146 - 21.02.2017=103. TOTAL = 1.151

Delegado, além de prender policiais militares por usurpação de função, os chama de milicianos

Uma matéria do Portal Metrópoles, intitulada Delegado chama policiais militares de "milicianos" e aciona MPDFT,  foi alvo de discussões acalaloradas nos grupos policiais. Segundo o site o Plantonista da 12ª DP acusa PMs de "usurpar" funções de investigação e diz que prática pode fazer Brasília voltar "aos tempos de ditadura". Dois policiais militares do 2º Batalhão de Polícia Militar, em Taguatinga, foram indiciados por usurpação de função pública na terça-feira (31/01). O caso foi registrado pelo delegado Thiago Boeing Schemes da Silva, Plantonista da 12ª DP (Taguatinga Centro). Segundo o Portal Metrópoles, na ocorrência, ele chegou a chamar os militares de "milicianos"e afirmou que, se os PM´s seguirem com os "trabalhos de investigação", Brasília vai voltar aos tempos de ditadura". A Briga de egos e vaidade de alguns integrantes dos órgãos de segurança pública demostra o quanto algumas pessoas estão despreocupadas com a melhoria do atendimento a população do Distrito Federal. Inicialmente, o sargento Anderson Pinho e o cabo Flavio Alvin contaram à Polícia Civil que, na manhã de terça (31/1), estavam em um veículo descaracterizado quando receberam uma mensagem informando sobre um carro, do modelo Jetta, que havia sido roubado. Ao patrulhar a região de Taguatinga, eles conseguiram localizar o automóvel, estacionado na CSM 7, próximo ao Mercado Sul. Os militares entraram em contato com o proprietário. A vítima compareceu ao local e retirou o veículo. A população pouco entende que existe uma polícia que age antes do crime e outra que age depois, mas ela sente na pele que o criminoso está agindo impunemente em nossas cidades. Enquanto isso, polícia briga com polícia e os bandidos ficam cada vez mais organizados e unidos no cometimento de crimes. O Jetta estava ao lado de um Peugeot 208. Após análise, os PMs verificaram que também se tratava de produto de roubo. Os militares perseguiram o condutor do segundo veículo até a QSA 25, onde o abordaram, prenderam e levaram à DP. O suspeito afirmou que o automóvel não era dele e, sim, de um cliente da oficina em que trabalha. Foi arbitrada uma fiança no valor de R$ 10 mil. Como não foi paga, o suspeito permaneceu detido. Diante destes fatos o delegado avaliou que os policiais militares fizeram "investigação" e que tal fato configura usurpação de função pública. Investigar, segundo os manuais, é a busca da autoria e materialidade durante a condução do Inquérito Policial. Segundo informações colhidos em grupos de policiais militares os policiais acusados de "usurpação" de função pública já conseguiram recuperar e devolver aos donos de veículos roubados e furtados mais de 120 carros. Temos certeza que a população agradece. O delegado afirmou durante a entrevista ao site que a dupla tem, sistematicamente, realizado abordagens e conduzido suspeitos à central de flagrantes. "Em quase...

Policiais mutilados levam calote de seguradora contratada pelo GDF

Responsáveis pela segurança da população e atuando em atividades de alto risco, os 23,7 mil policiais civis, militares e bombeiros do Distrito Federal contam, desde 2008, com um seguro de vida que poderia ser um alento às famílias em caso de acidentes graves ou morte em serviço. O problema é que alguns servidores chegaram a ter membros amputados e até mesmo perderam a vida em trabalho, mas as famílias, até hoje, não receberam a indenização. Tudo porque a seguradora que prestava o serviço até 2014, a FederalPrev, faliu. Segundo denúncias de policiais e bombeiros, entre 2008 e 2014, nenhum servidor recebeu os valores do seguro na época em que era operado pela FederalPrev. O primeiro caso em que uma família conseguiu ter acesso ao pagamento ocorreu em 2015, já com a nova empresa, contratada em 2014, a Previsul. A ocorrência em questão se refere ao sargento Reginaldo Vieira, morto em serviço em 15 de março de 2015, no Paranoá. A indenização ficou em R$ 130 mil. Mas os casos de quem não consegue o benefício se multiplicam, como o do primeiro sargento da PM Adriano Ricardo Ferreira, 40 anos. Na tarde de 4 de setembro de 2013, Ferreira teve o antebraço direito amputado após sofrer uma acidente com a viatura durante uma perseguição policial. A capotagem ocorreu na L2 Norte. Mesmo tendo direito ao seguro, ele precisou acionar a Justiça para tentar receber o recurso. O processo ainda tramita e não houve decisão a respeito do caso. O benefício é pouco divulgado. Fui saber que tinha direito seis meses depois do acidente. À época, a seguradora responsável era a FederalPrev, que funcionava no Setor de Rádio e TV Sul. Depois de 15 dias que entreguei os documentos, voltei ao local e a sala estava vazia. A empresa havia sido liquidada" Adriano Ricardo Ferreira, primeiro sargento da PM Sem receber o benefício e sem ter a quem recorrer, o militar entrou com um processo na Justiça para tentar resolver a situação. A angústia da espera mantém viva a lembrança do acidente que mudou completamente a vida do policial. Ele teve que sair das ruas, atividade na qual mais se identificava, e assumir tarefas burocráticas no setor administrativo da corporação. As sequelas, segundo Ferreira, são sentidas até hoje. “Esse processo do seguro me desgastou bastante. Fora que ainda sinto dores devido à amputação. A minha última cirurgia foi em agosto de 2016. Ela estava marcada para 2015, mas não pude fazer por conta dos problemas com o convênio da PM”, destacou. Morte em serviço A família de outro sargento da Polícia Militar também recorreu à Justiça para conseguir receber o seguro. A mulher, que não quis ter o nome divulgado, contou que o marido perdeu a vida em julho de 2013, em um acidente de trânsito, quando saía do trabalho. “Ele morreu de farda, estava em serviço. Deixou uma...

Mais uma viatura da PM capota após passar sobre poça de óleo

Uma viatura da Polícia Militar capotou no viaduto de ligação do Núcleo Bandeirante para a Candangolândia por volta das 15h20 desta segunda-feira (13/2). Segundo a assessoria de comunicação da PMDF, havia apenas um policial no veículo, que sofreu apenas lesões leves e foi encaminhado pelo Corpo de Bombeiros ao Hospital Maria Auxiliadora no Gama. A perícia da Polícia Militar foi acionada para apurar as causas do acidente. Segundo relato do servidor que conduzia a viatura, havia óleo na pista. Por essa razão, ele perdeu o controle do veículo. Nos últimos anos, ao menos 25 viaturas da PMDF capotaram, sendo que o caso mais grave resultou na morte do cabo Renato Fernandes da Silva, 37 anos, em 5 de fevereiro do ano passado. Em julho de 2016, a PMDF publicou edital de licitação para renovar a frota de viaturas. O valor estipulado foi de R$ 57,88 milhões. A ideia é comprar até 400 veículos para substituir as Mitsubishi Pajero, adquiridas em 2012, e consideradas inseguras para as atividades diárias da corporação. Policiais militares relatam que a direção costuma travar fazendo com que eles percam o controle do veículo. Uma viatura do Guará (VTR 2575) em 2016 chegou a travar as rodas em uma curva, vindo a rodar na pista e por pouco não capotou. A solução encontrada pelas autoridades responsáveis foi retirar a viatura de uma área e mandá-la para outra. Entenda o que pode acontecer com as viaturas Pajero enquanto o policial dirige: https://www.youtube.com/watch?v=hohyG0C5J4M&feature=youtu.be Com informações do Site Metrópoles e Facebook de Aderivaldo Cardoso

A polícia atua em todas as áreas: uma empresa multi-uso 

Polícia Militar único órgão presente e atuante em todas as áreas do Distrito Federal

TEMPO AGORA

Brasilia
nuvens dispersas
29 ° C
29 °
29 °
66 %
6.7kmh
40 %
seg
33 °
ter
34 °
qua
34 °
qui
34 °
sex
33 °