27 C
Brasilia, BR
terça-feira, 16 de julho, de 2019, 11:49 AM

POLÍCIA MILITAR

Solenidade de incorporação dos novos policiais militares

A Polícia Militar do Distrito Federal realizou a incorporação dos alunos do Curso de Formação de Praças (CFP VI), no pátio do CEPOM, por volta das 18h desta quinta-feira (11), em Taguatinga Norte. O curso de formação teve início no dia 3 de junho, com 745 aprovados e é ministrado em período integral pela Escola de Formação de Praças da Academia de Polícia Militar de Brasília (APMB), sob a coordenação do major Arantes. Durante a solenidade, o comandante da APMB, coronel Borges, fez a leitura da ordem do dia e deu boas-vindas aos jovens policiais militares e garantiu que todos deixarão a Academia de Polícia Militar preparados para os inúmeros desafios. “Todos estarão prontos para cumprir as mais complexas missões e contribuir significativamente para a segurança pública do DF”, assegurou. Como ato simbólico do ingresso dos alunos do CFP VI, a soldado de segunda classe Pamella Tayná Mendes Seabra, de 25 anos, primeira colocada no concurso de admissão, recebeu das mãos do coronel Borges a redoma com o uniforme operacional da PMDF. Para a policial, é uma grande responsabilidade representar os colegas de curso. A coronel Sheyla, comandante-geral da PMDF, em discurso agradeceu a presença de todos, parabenizou os novos policiais militares e lembrou da responsabilidade de se ostentar a farda. “A partir de hoje, vocês são considerados policiais militares de fato”. Ela também reconheceu o mérito dos aprovados no concurso, “foram mais de 50 mil candidatos e vocês conseguiram vencer”. Durante a solenidade, o secretário de Segurança Pública, Dr. Anderson Torres, também fez uso da palavra. “Vocês representam a esperança, o futuro da Polícia Militar e o futuro da segurança do Distrito Federal. A sociedade precisa de vocês”, reconheceu. Após a conclusão do curso de formação, os novos integrantes da corporação serão distribuídos para as unidades operacionais em todo o DF. Veja mais fotos da formatura: Informações do Site da PMFD e Fotos do Sgt Wander Vieira

Mais seis escolas do DF serão militarizadas a partir de 1º de agosto

Mais seis escolas do Distrito Federal serão militarizadas a partir de 1º de agosto, de acordo com o governador Ibaneis Rocha (MDB). Em parceria, as secretarias de Educação e de Segurança Pública escolheram os colégios que devem adotar o modelo de gestão compartilhada. As unidades escolhidas, que atendem 6,6 mil alunos, são: Centro Educacional Gisno, CEF 19 (Taguatinga), CEF 407 (Samambaia), CEF 01 (Núcleo Bandeirante), CEF 05 (Paranoá) e CED Condomínio Estância III (Planaltina). Para que os colégios, de fato, sofram as alterações, é necessário que haja a aprovação dos corpos escolares. Caso a comunidade não aceite a intervenção, as secretarias escolherão unidades substitutas.  Os centros de ensino “militarizados” contam com o apoio de 20 a 25 policiais militares, que cuidam das decisões disciplinares e administrativas e ministram, no contraturno escolar, disciplinas ligadas à “cultura cívico-militar”, como ética e cidadania, banda de música, musicalização, esportes e ordem unida. Enquanto isso,  professores, orientadores e coordenadores permanecem responsáveis pelo conteúdo pedagógico das classes. A decisão gerou controvérsia e dividiu a comunidade escolar. Em alguns aspectos, o GDF espelha-se no formato adotado pelas escolas militares. Há, por exemplo, exigência de disciplina e do cumprimento de horários. Além disso, meninas devem usar coque e meninos, cabelo curto. Os estudantes também terão uniformes diferenciados.  Apesar da inspiração, há diversas diferenças entre os modelos de gestão de escola militar e dos Colégios da Polícia Militar, como foram recém-batizadas as quatro instituições de ensino da capital. As escolas administradas pela Secretaria de Educação e de Segurança não reservam vagas para filhos de militares ou realizarão processos seletivos. Os salários dos profissionais dos centros de ensino também não aumentarão, por ora. Informações do Jornal Correio Braziliense

Dupla do Colégio Militar Tiradentes é medalha de ouro na Olimpíada de Matemática

“A matemática abre caminhos”, sentencia o adolescente de 15 anos, Roberto Santos, medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep). “Matemática é vida”, complementa o também medalhista de ouro Felipe Amorim, de 13 anos. A dupla do Colégio Militar Tiradentes superou milhares de estudantes de todo o país na 14ª edição da Obmep. A Olimpíada registrou, no ano passado, a participação de 18,2 milhões de alunos na primeira fase. As medalhas foram entregues em Salvador, nesta segunda-feira (8). Felipe começou a despontar no campo da matemática aos 11 anos, quando foi prata na Obmep e bronze na Olimpíada Brasileira de Matemática. Com essa idade, o menino, que se diverte resolvendo quebra-cabeças e jogos de raciocínio lógico, entrou no Programa de Iniciação Científica Júnior da Universidade de Brasília. A mãe, Jucilene Amorim, confessa que só notou o talento do filho com os números quando foi convencida pelos professores do Colégio Militar Tiradentes. “É emocionante ver os olhos dele brilhando”, exalta. “O Felipe é inspiração para o irmão mais novo que já segue o mesmo caminho”. O professor de matemática do Felipe, Wilton Oliveira, revela que o adolescente é um aluno extraordinário e observador. Wilton sente-se honrado por participar da trajetória vitoriosa do Felipe. “Nosso trabalho com a matemática está no caminho certo”, resume. Roberto é tão apaixonado pela matemática que não se separa dos números nem nas horas vagas. “Pra relaxar, assisto a vídeos que ensinam matemática de forma divertida e inovadora”. Ao contrário de Felipe, a paixão de Roberto por cálculos foi vista desde cedo em casa. O pai, major Ferreira Leite, conta que o garoto sempre teve curiosidade para solucionar problemas. Mas só despontou quando ingressou no Colégio Militar Tiradentes. “Confesso que era contra a ida dele para o colégio. Depois de ver a qualidade do ensino, decidi colocar meus outros dois filhos na escola”. Em sala de aula, o Roberto mostra-se um questionador e um aluno muito atento às explicações dos professores. Para o professor Vitor de Andrade, o aluno está acima da média. “Ele é muito humilde e gosta de descobrir soluções inovadoras para os problemas que eu passo”, revela. Ano passado, Roberto foi prata na Olimpíada Brasileira de Física e bronze na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica. Informações PMDF

Promulgada emenda que permite a militar acumular cargo em saúde e educação

Os policiais e bombeiros militares dos estados e do Distrito Federal agora podem acumular a função militar com cargos públicos nas áreas de saúde e educação. A permissão está prevista em uma Emenda Constitucional (EC 101, de 2019) promulgada nesta quarta-feira (3) pelas Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado. Desde 1988, o exercício simultâneo de cargos valia apenas para servidores públicos civis e para militares das Forças Armadas que atuam na área de saúde. De acordo com a Constituição, a acumulação só é possível “quando houver compatibilidade de horários”. O texto autoriza o exercício de dois cargos de professor; de um cargo de professor com outro técnico ou científico; ou de dois empregos privativos de profissionais de saúde. No caso de policiais e bombeiros, deve haver “prevalência da atividade militar”. A proposta da emenda à Constituição foi apresentada em 2013 pelo então deputado Alberto Fraga (DF). Coronel da reserva da Polícia Militar do Distrito Federal, ele acompanhou a sessão solene de promulgação e foi convidado pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre, a assinar a Emenda Constitucional 101. — Sei da dificuldade de muitos policiais e bombeiros militares no Brasil, que muitas vezes são obrigados a fazer um “bico” para complementar a renda. Eu prefiro um militar dando aula na rede pública do que fazendo bico num supermercado e, muitas vezes, assassinado. Eu me orgulho muito da formação militar. Todos nós podemos passar para a juventude os valores de disciplina e hierarquia, hoje tão necessários na sociedade brasileira — argumentou Fraga. A proposta foi aprovada pelo Senado no dia 3 de abril passado como PEC 141/2015. O relator na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) foi o senador Antonio Anastasia (PSDB-MG). Para ele, a possibilidade de acumulação pode ser “mais vantajosa” ao Estado. — A acumulação deve respeitar o teto de remuneração dos agentes públicos. Sob uma perspectiva estritamente financeira, seria mais vantajoso ao Estado, em período de severa restrição fiscal, uma situação em que militares exerçam de forma cumulativa esses cargos, já que a somatória de suas remunerações se submeteria ao teto constitucional, do que a admissão de outros servidores para exercê-las — afirmou. Para o senador Marcos Rogério (DEM-RO), a emenda não beneficia apenas policiais e bombeiros. — Esta é uma pauta que não interessa somente aos militares do Brasil. Interessa à sociedade brasileira, tendo em vista que os beneficiários dos bons serviços desses profissionais absolutamente preparados serão nossos filhos, os alunos do Brasil. Os militares ganham, mas ganha sobretudo a população brasileira — disse. Para o presidente do Senado,...

Posto comunitário da PMDF é incendiado no Núcleo Bandeirante

Um posto comunitário da Polícia Militar do Distrito Federal foi incendiado na madrugada desta terça-feira (02/07/2019). O caso ocorreu no Núcleo Bandeirante. A corporação informou que o Corpo de Bombeiros foi acionado e que até o momento não há informações sobre os suspeitos. A Polícia Civil investiga o crime contra o patrimônio público. Ainda de acordo com a PM, apenas neste ano sete postos foram queimados ou vandalizados no Distrito Federal. Informações do Portal Metrópoles

POLÍCIA CIVIL

População se sente mais segura no DF

Percepção de insegurança no DF cai A sensação de insegurança vem caindo no DF e atingiu o menor patamar dos últimos cinco anos, segundo pesquisa realizada pela FSB para a Federação do Comércio do DF (Fecomércio/DF). Em junho de 2017, no momento mais crítico, 85,1% da população consideravam o DF inseguro ou muito inseguro. Agora, a pesquisa aponta que o percentual é de 53,2%, o mais baixo da série histórica que teve início em fevereiro de 2014. Informações do Jornal Correio Braziliense

Morre Roberto Aguiar, ex-secretário de segurança pública do Distrito Federal

Morreu na madrugada desta sexta-feira (12/07/2019) Roberto Aguiar, ex-reitor e professor emérito da Universidade de Brasília (UnB). Ele também foi secretário de Segurança do Distrito Federal e do Rio de Janeiro. O falecimento foi confirmado pela instituição de ensino superior, por meio de nota. Roberto Aguiar era professor titular da Faculdade de Direito da Universidade de Brasília. Ingressou na instituição em 1989, como procurador-chefe e professor do Instituto de Ciência Política e Relações Internacionais. Aguiar participou da criação da Universidade Estadual do Pará e da Universidade Metodista de Piracicaba e também professor titular da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Pará. Ao longo da carreira, publicou mais de 40 obras, entre livros e artigos sobre Segurança e Direito.

BOMBEIRO MILITAR

GDF autoriza convocação de 355 bombeiros e 750 policiais militares

O Governo do Distrito Federal autorizou o Corpo de Bombeiros a convocar 355 aprovados no último concurso. Um ofício assinado pela Secretaria de Fazenda, Planejamento, Orçamento e Gestão, assinado nesta terça-feira (09/07/2019), permite que o comando da corporação adote medidas administrativas a fim de nomear novos combatentes, como pedir que eles entreguem a documentação necessária. Após vencida essa etapa, o próximo passo é a nomeação. Eles serão distribuídos pelas 30 unidades da instituição espalhadas pela capital do país. Veja o documento: O novo efetivo, quando passar a integrar a tropa, minimizará a defasagem de combatentes e oficiais, atualmente calculada em 42,56%. Onde deveria haver 9.703 servidores, estão nomeados 5.584 homens e mulheres. Reforço na PM Além dos bombeiros, o mesmo procedimento foi autorizado no caso da Polícia Militar. Após cumpridas as etapas administrativas, 750 soldados aprovados no último certame serão incorporados aos quadros da segurança pública. As informações foram confirmadas à coluna pelo chefe do Executivo local, Ibaneis Rocha (MDB). Informações do Portal Metrópoles

Promulgada emenda que permite a militar acumular cargo em saúde e educação

Os policiais e bombeiros militares dos estados e do Distrito Federal agora podem acumular a função militar com cargos públicos nas áreas de saúde e educação. A permissão está prevista em uma Emenda Constitucional (EC 101, de 2019) promulgada nesta quarta-feira (3) pelas Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado. Desde 1988, o exercício simultâneo de cargos valia apenas para servidores públicos civis e para militares das Forças Armadas que atuam na área de saúde. De acordo com a Constituição, a acumulação só é possível “quando houver compatibilidade de horários”. O texto autoriza o exercício de dois cargos de professor; de um cargo de professor com outro técnico ou científico; ou de dois empregos privativos de profissionais de saúde. No caso de policiais e bombeiros, deve haver “prevalência da atividade militar”. A proposta da emenda à Constituição foi apresentada em 2013 pelo então deputado Alberto Fraga (DF). Coronel da reserva da Polícia Militar do Distrito Federal, ele acompanhou a sessão solene de promulgação e foi convidado pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre, a assinar a Emenda Constitucional 101. — Sei da dificuldade de muitos policiais e bombeiros militares no Brasil, que muitas vezes são obrigados a fazer um “bico” para complementar a renda. Eu prefiro um militar dando aula na rede pública do que fazendo bico num supermercado e, muitas vezes, assassinado. Eu me orgulho muito da formação militar. Todos nós podemos passar para a juventude os valores de disciplina e hierarquia, hoje tão necessários na sociedade brasileira — argumentou Fraga. A proposta foi aprovada pelo Senado no dia 3 de abril passado como PEC 141/2015. O relator na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) foi o senador Antonio Anastasia (PSDB-MG). Para ele, a possibilidade de acumulação pode ser “mais vantajosa” ao Estado. — A acumulação deve respeitar o teto de remuneração dos agentes públicos. Sob uma perspectiva estritamente financeira, seria mais vantajoso ao Estado, em período de severa restrição fiscal, uma situação em que militares exerçam de forma cumulativa esses cargos, já que a somatória de suas remunerações se submeteria ao teto constitucional, do que a admissão de outros servidores para exercê-las — afirmou. Para o senador Marcos Rogério (DEM-RO), a emenda não beneficia apenas policiais e bombeiros. — Esta é uma pauta que não interessa somente aos militares do Brasil. Interessa à sociedade brasileira, tendo em vista que os beneficiários dos bons serviços desses profissionais absolutamente preparados serão nossos filhos, os alunos do Brasil. Os militares ganham, mas ganha sobretudo a população brasileira — disse. Para o presidente do Senado,...

POLÍTICA

Câmara reduz idade mínima para professores se aposentarem: 55 e 52 anos

O plenário da Câmara aprovou idades mínimas menores para aposentadoria de professores, nesta sexta-feira (12/7). Por 465 votos favoráveis e 25 contrários, os deputados aceitaram o destaque feito pelo PDT à reforma da Previdência. Assim, a exigência para homens passa a ser de 55 anos e, para mulheres, de 52 anos, durante a transição, para professores da rede pública e da iniciativa privada. O texto-base, aprovado na última quarta-feira (10/7), previa 58 e 55 anos, respectivamente, para a categoria. Pedágio O pedágio continua sendo de 100% sobre o tempo que falta para a aposentadoria. Ou seja, se faltar um ano, o professor precisará trabalhar dois. A aprovação desse destaque já estava garantida por acordo entre as lideranças partidárias.  Mais cedo, os deputados rejeitaram dois destaque do PDT. Um deles buscava acabar com o pedágio na transição. A exigência passaria a ser apenas de idade e tempo de contribuição. O outro sugeria diminuir de 100% para 50%. O plenário ainda precisa avaliar outros quatro destaques. Informações do Jornal Correio Braziliense

MEC quer implementar 108 escolas cívico-militares no país até 2023

O Ministério da Educação (MEC) pretende implementar 108 escolas cívico-militares no país até 2023. Segundo a pasta, o ritmo será de 27 ao ano, uma para cada unidade da Federação. Serão 108 mil alunos atendidos. O secretário de Educação Básica do Ministério da Educação, Jânio Carlos Endo Macedo, afirmou que as novas escolas serão implantadas em regiões carentes.O anúncio foi feito nesta quinta-feira (11), pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, e o secretário de Educação Básica, Jânio Macedo, durante o lançamento de uma 'carta compromisso' com objetivos para a educação até 2022. O documento foi intitulado de Compromisso Nacional pela Educação Básica. O planejamento estratégico foi elaborado pelo MEC em colaboração com o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime). A previsão orçamentária de implementação é de 40 milhões ao ano. Segundo a pasta, o objetivo do compromisso nacional é o de impulsionar a educação infantil, o ensino fundamental, o ensino médio e a educação para jovens e adultos e tornar o Brasil referência em Educação Básica na América Latina até 2030. A carta é estruturada a partir das etapas da educação básica: ensino infantil, fundamental, médio, profissional e educação de jovens e adultos (EJA) e dividida em sete eixos: Creches, ensino fundamental, Novo Ensino Médio, Educação conectada, formação de docentes, escolas cívico-militares e retorno social. Sobre as creches, o secretário de educação básica ressaltou que até o momento, menos de 50% das obras do Programa Nacional de Reestruturação e Aquisição de Equipamentos para a Rede Escolar Pública de Educação Infantil (Proinfância) foram concluídas.Ao todo, foram aprovadas 9028 obras. Dessas, apenas 4047 estão concluídas. Faltam 4981 para serem finalizadas. Ele aponta que o programa será reestruturado para dar celeridade na conclusão de mais 4 mil creches até 2022. No ensino fundamental, 4,6 milhões de estudantes estão em atraso escolar. Para diminuir esses números, a pasta afirmou que será dada uma atenção maior aos alunos repetentes ou em risco de perder o ano, com um programa de correção de fluxo. O anúncio é de que o programa “Novo Mais Educação” terá a carga horária ampliada dos colégios públicos para “diminuir a evasão e melhorar indicadores educacionais”. As escolas que aderirem terão no mínimo, 5 horas de aulas por dia. No integral, a ideia é colocar 35 horas a mais por semana. Macedo disse ainda que estimulará a adesão ao “Novo Ensino Médio”, com investimentos de R$ 230 milhões até o fim do ano. Na educação conectada, a ideia é...

MP vê “perigo à segurança” e vai à Justiça contra decretos das armas

Diversos dispositivos dos três novos decretos de armasassinados no dia 25 de junho são tidos como ilegais, segundo o Ministério Público Federal (MPF). O órgão solicitou a suspensão de 24 dispositivos dos Decretos nº 9.845/2019, nº 9.846/2019 e nº 9.847/2019, “pois afrontam diretamente o Estatuto do Desarmamento (Lei nº 10.826/2003), e trazem perigo de dano à segurança pública do país”. A ação foi ajuizada na terça-feira (09/07/2019) e distribuída à 21ª Vara Federal. Os procuradores da República que assinam o documento, Felipe Fritz, Eliana Pires e Ivan Cláudio Marx, apontam um a um os dispositivos que eles avaliam estar em discordância com a Lei nº 10.826/2003. Entre eles, os procuradores destacam a facilidade para registro e aquisição de armas de fogo que os decretos trouxeram. Há, por exemplo, a imposição de rol taxativo para indeferimento dos pedidos de autorização de arma de fogoe de certificado de registro, restringindo a discricionariedade da autoridade competente em atuar. Outros pontos questionados na ação são a redução de requisitos necessários – e exigidos no Estatuto do Desarmamento – para obtenção de registro, como a dispensa de declaração de efetiva necessidade; e a autorização tácita para adquirir armas de fogo, ou seja, ainda que o requerente não preencha os requisitos estabelecidos nas normas vigentes – por exemplo, aptidão psicológica para possuir uma arma de fogo – estará autorizado a adquiri-la e a obter o Certificado de Registro, caso seu requerimento não seja apreciado no prazo estipulado. Além dos dispositivos em discordância com a lei, o MPF alerta para a intenção dos decretos em “instituir um modelo de elegibilidade geral para a aquisição e posse de armas de fogo ao contrário do sistema de permissividade restrita adotado pela Lei nº 10.826/2003”. Assim, possibilitam um maior acesso da população no geral às armas de fogo. A peça protocolada na Justiça traz também dados de pesquisas sobre o impacto do desarmamento da população nos números de mortes com armas de fogo. Segundo os procuradores, “a flexibilização – embora tenha como finalidade ampliar o número de titulares de um direito individual e diminuir as restrições para seu exercício – representa um retrocesso no sistema de controle de armas no país”. Com isso, o MPF requer a declaração de invalidade dos dispositivos apontados com concessão de tutela antecipada de urgência. Informações do Portal Metrópoles

Bolsonaro diz que indicará evangélico para Supremo Tribunal Federal

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que indicará um ministro evangélico para o Supremo Tribunal Federal (STF), pois, para ele, a busca pelo “resgate dos valores familiares” deve estar presente em todos os poderes do país. “Entre as duas vagas que terei para indicar para o Supremo um deles será terrivelmente evangélico”, disse, durante sua participação em um culto da bancada evangélica na Câmara dos Deputados, na manhã de hoje (10). No mês passado, ao criticar a decisão do STF de criminalizar a homofobia como forma de racismo, Bolsonaro já havia sugerido a indicação de um evangélico para a Corte. Até 2022, o presidente da República poderá indicar nomes para pelo menos duas vagas, que serão aberta com a aposentadoria compulsória dos ministros Marco Aurélio e Celso de Mello. Hoje, Bolsonaro elogiou a atuação dos parlamentares evangélicos nos últimos anos. “Vocês sabem o quanto a família sofreu nos últimos governos. Vocês foram decisivos na busca da inflexão do resgate dos valores familiares”, disse. “Quantos tentam nos deixar de lado dizendo que o Estado é laico. O Estado é laico mas nós somos cristãos. Ou para plagiar a minha querida Damares, nós somos terrivelmente cristãos”, disse, em referência à declaração da ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves.f Informações da Agência Brasil

CONCURSOS

GDF autoriza convocação de 355 bombeiros e 750 policiais militares

O Governo do Distrito Federal autorizou o Corpo de Bombeiros a convocar 355 aprovados no último concurso. Um ofício assinado pela Secretaria de Fazenda, Planejamento, Orçamento e Gestão, assinado nesta terça-feira (09/07/2019), permite que o comando da corporação adote medidas administrativas a fim de nomear novos combatentes, como pedir que eles entreguem a documentação necessária. Após vencida essa etapa, o próximo passo é a nomeação. Eles serão distribuídos pelas 30 unidades da instituição espalhadas pela capital do país. Veja o documento: O novo efetivo, quando passar a integrar a tropa, minimizará a defasagem de combatentes e oficiais, atualmente calculada em 42,56%. Onde deveria haver 9.703 servidores, estão nomeados 5.584 homens e mulheres. Reforço na PM Além dos bombeiros, o mesmo procedimento foi autorizado no caso da Polícia Militar. Após cumpridas as etapas administrativas, 750 soldados aprovados no último certame serão incorporados aos quadros da segurança pública. As informações foram confirmadas à coluna pelo chefe do Executivo local, Ibaneis Rocha (MDB). Informações do Portal Metrópoles

Como fica minha aposentadoria com a reforma aprovada?

A Câmara dos Deputados aprovou em primeiro turno nesta quarta-feira, 10, o projeto de reforma da Previdência. Depois da segunda votação na Casa, haverá mais mais duas votações no Senado. Confira abaixo como as mudanças podem afetar sua aposentadoria. Para quem ainda não trabalha - Trabalhadores privados (urbanos) Idade mínima: 62 anos (mulheres) e 65 anos (homens) Tempo de contribuição: 15 anos (mulheres) e 20 anos (homens) - Servidores públicos da União Idade mínima: 62 anos (mulheres) e 65 anos (homens) Tempo mínimo de contribuição: 25 anos, com 10 anos no serviço público e cinco no cargo - Trabalhadores rurais Idade mínima: 55 anos (mulheres) e 60 anos (homens) Tempo de contribuição: 15 anos (ambos os sexos) - Professores Idade mínima: 57 anos (mulheres) e 60 anos (homens) Tempo de contribuição: 25 anos (ambos os sexos) - Policiais federais, rodoviários federais e legislativos Idade mínima: 55 anos (ambos os sexo) Tempo de contribuição: 30 anos (para ambos os sexos, além de 25 anos no exercício da carreira Para quem já está no mercado de trabalho A proposta prevê 5 regras de transição para os trabalhadores da iniciativa privada que já estão no mercado. Uma dessas regras vale também para servidores, categoria que também conta com uma opção específica. Para todas as modalidades, vão vigorar por até 14 anos depois de aprovada a reforma. Pelo texto, o segurado poderá sempre optar pela forma mais vantajosa. - Transição 1: sistema de pontos (para INSS) A regra é semelhante à formula atual para pedir a aposentadoria integral, a fórmula 86/96. O trabalhador deverá alcançar uma pontuação que resulta da soma de sua idade mais o tempo de contribuição, que hoje é 86 para as mulheres e 96 para os homens, respeitando um mínimo de 35 anos de contribuição para eles, e 30 anos para elas. A transição prevê um aumento de 1 ponto a cada ano, chegando a 100 para mulheres e 105 para os homens. Exemplo: um trabalhador de 54 anos e 32 de contribuição soma 86 pontos, longe ainda dos 96. E ele só terá direito a pedir aposentadoria em 2028 para receber 100% do benefício calculado. - Transição 2: tempo de contribuição + idade mínima (para INSS) Nessa regra, a idade mínima começa em 56 anos para...

Dupla do Colégio Militar Tiradentes é medalha de ouro na Olimpíada de Matemática

“A matemática abre caminhos”, sentencia o adolescente de 15 anos, Roberto Santos, medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep). “Matemática é vida”, complementa o também medalhista de ouro Felipe Amorim, de 13 anos. A dupla do Colégio Militar Tiradentes superou milhares de estudantes de todo o país na 14ª edição da Obmep. A Olimpíada registrou, no ano passado, a participação de 18,2 milhões de alunos na primeira fase. As medalhas foram entregues em Salvador, nesta segunda-feira (8). Felipe começou a despontar no campo da matemática aos 11 anos, quando foi prata na Obmep e bronze na Olimpíada Brasileira de Matemática. Com essa idade, o menino, que se diverte resolvendo quebra-cabeças e jogos de raciocínio lógico, entrou no Programa de Iniciação Científica Júnior da Universidade de Brasília. A mãe, Jucilene Amorim, confessa que só notou o talento do filho com os números quando foi convencida pelos professores do Colégio Militar Tiradentes. “É emocionante ver os olhos dele brilhando”, exalta. “O Felipe é inspiração para o irmão mais novo que já segue o mesmo caminho”. O professor de matemática do Felipe, Wilton Oliveira, revela que o adolescente é um aluno extraordinário e observador. Wilton sente-se honrado por participar da trajetória vitoriosa do Felipe. “Nosso trabalho com a matemática está no caminho certo”, resume. Roberto é tão apaixonado pela matemática que não se separa dos números nem nas horas vagas. “Pra relaxar, assisto a vídeos que ensinam matemática de forma divertida e inovadora”. Ao contrário de Felipe, a paixão de Roberto por cálculos foi vista desde cedo em casa. O pai, major Ferreira Leite, conta que o garoto sempre teve curiosidade para solucionar problemas. Mas só despontou quando ingressou no Colégio Militar Tiradentes. “Confesso que era contra a ida dele para o colégio. Depois de ver a qualidade do ensino, decidi colocar meus outros dois filhos na escola”. Em sala de aula, o Roberto mostra-se um questionador e um aluno muito atento às explicações dos professores. Para o professor Vitor de Andrade, o aluno está acima da média. “Ele é muito humilde e gosta de descobrir soluções inovadoras para os problemas que eu passo”, revela. Ano passado, Roberto foi prata na Olimpíada Brasileira de Física e bronze na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica. Informações PMDF

ESPORTES

ENTORNO

POSTS MAIS LIDOS

O Distrito Federal perdeu em quarenta e quatro dias o equivalente a onze Batalhões da PM

No ano de 2008 o Blog Policiamento Inteligente apresentou um relatório sobre o efetivo da Polícia Militar do Distrito Federal. Neste período, o efetivo era de 15.206 homens e mulheres. De lá para cá, ocorreram a formação de 4 turmas do Curso de Formação de Praças (foram realizados dois concursos), ocorreu uma reestruturação da Corporação e vários "batalhões" foram criados, mas o efetivo gira em torno de um pouco mais de 12 mil homens e mulheres.  Vários candidatos ao governo do Distrito Federal prometeram fazer concursos para ingresso de mil policiais por ano, dentre eles: Arruda, Agnelo e Rollemberg,  mas foram apenas promessas não cumpridas.  No dia de ontem uma listagem de 103 policiais, publicada no DODF, fez com que o número de policiais aposentados somente no ano de 2017 ultrapassasse mil e cem policiais. É como se 11 (onze) Batalhões da Cidade Estrutural tivessem sido fechados somente este ano. Um dos fatores que tem influenciado os Policiais Militares a pedirem a reserva remunerada é o medo de modificações na lei previdenciária que será discutida até julho. Além disso, a falta de perspectivas de promoções na Corporação também tem contribuído para a aposentadoria em massa. Grande parte dos policiais que estão aposentando são subtenentes e sargentos que não veem mais possibilidades de promoções nos próximos anos. A falta de fluidez na carreira é o grande desmotivador para os policiais mais experientes. Este ano a quantidade de aposentadorias pode ultrapassar dois mil pedidos. A previsão é de que 5 mil policiais militares deixem a corporação nos próximos três anos. Um fato assustador, já que a lei 12.086/09 limita a quantidade de soldados a apenas 5.564, sendo assim, nos próximos 3 anos o governo está limitado a chamar apenas três mil e quinhentos novos soldados. Veja quantos policiais foram aposentados nos últimos 44 dias com base nas publicações do DODF, com seus respectivos dias e quantitativo de PM´s aposentados: 02.01.2017= 134 - 09.01.2017= 40 - 13.01.2017= 74 -18.01.2017= 79 - 20.01.2017= 74 - 23.01.2017= 74 - 25.01.2017= 60 - 27.01.2017= 94 - 03.02.2017=273 - 13.02.2017=146 - 21.02.2017=103. TOTAL = 1.151

Delegado, além de prender policiais militares por usurpação de função, os chama de milicianos

Uma matéria do Portal Metrópoles, intitulada Delegado chama policiais militares de "milicianos" e aciona MPDFT,  foi alvo de discussões acalaloradas nos grupos policiais. Segundo o site o Plantonista da 12ª DP acusa PMs de "usurpar" funções de investigação e diz que prática pode fazer Brasília voltar "aos tempos de ditadura". Dois policiais militares do 2º Batalhão de Polícia Militar, em Taguatinga, foram indiciados por usurpação de função pública na terça-feira (31/01). O caso foi registrado pelo delegado Thiago Boeing Schemes da Silva, Plantonista da 12ª DP (Taguatinga Centro). Segundo o Portal Metrópoles, na ocorrência, ele chegou a chamar os militares de "milicianos"e afirmou que, se os PM´s seguirem com os "trabalhos de investigação", Brasília vai voltar aos tempos de ditadura". A Briga de egos e vaidade de alguns integrantes dos órgãos de segurança pública demostra o quanto algumas pessoas estão despreocupadas com a melhoria do atendimento a população do Distrito Federal. Inicialmente, o sargento Anderson Pinho e o cabo Flavio Alvin contaram à Polícia Civil que, na manhã de terça (31/1), estavam em um veículo descaracterizado quando receberam uma mensagem informando sobre um carro, do modelo Jetta, que havia sido roubado. Ao patrulhar a região de Taguatinga, eles conseguiram localizar o automóvel, estacionado na CSM 7, próximo ao Mercado Sul. Os militares entraram em contato com o proprietário. A vítima compareceu ao local e retirou o veículo. A população pouco entende que existe uma polícia que age antes do crime e outra que age depois, mas ela sente na pele que o criminoso está agindo impunemente em nossas cidades. Enquanto isso, polícia briga com polícia e os bandidos ficam cada vez mais organizados e unidos no cometimento de crimes. O Jetta estava ao lado de um Peugeot 208. Após análise, os PMs verificaram que também se tratava de produto de roubo. Os militares perseguiram o condutor do segundo veículo até a QSA 25, onde o abordaram, prenderam e levaram à DP. O suspeito afirmou que o automóvel não era dele e, sim, de um cliente da oficina em que trabalha. Foi arbitrada uma fiança no valor de R$ 10 mil. Como não foi paga, o suspeito permaneceu detido. Diante destes fatos o delegado avaliou que os policiais militares fizeram "investigação" e que tal fato configura usurpação de função pública. Investigar, segundo os manuais, é a busca da autoria e materialidade durante a condução do Inquérito Policial. Segundo informações colhidos em grupos de policiais militares os policiais acusados de "usurpação" de função pública já conseguiram recuperar e devolver aos donos de veículos roubados e furtados mais de 120 carros. Temos certeza que a população agradece. O delegado afirmou durante a entrevista ao site que a dupla tem, sistematicamente, realizado abordagens e conduzido suspeitos à central de flagrantes. "Em quase...

Policiais mutilados levam calote de seguradora contratada pelo GDF

Responsáveis pela segurança da população e atuando em atividades de alto risco, os 23,7 mil policiais civis, militares e bombeiros do Distrito Federal contam, desde 2008, com um seguro de vida que poderia ser um alento às famílias em caso de acidentes graves ou morte em serviço. O problema é que alguns servidores chegaram a ter membros amputados e até mesmo perderam a vida em trabalho, mas as famílias, até hoje, não receberam a indenização. Tudo porque a seguradora que prestava o serviço até 2014, a FederalPrev, faliu. Segundo denúncias de policiais e bombeiros, entre 2008 e 2014, nenhum servidor recebeu os valores do seguro na época em que era operado pela FederalPrev. O primeiro caso em que uma família conseguiu ter acesso ao pagamento ocorreu em 2015, já com a nova empresa, contratada em 2014, a Previsul. A ocorrência em questão se refere ao sargento Reginaldo Vieira, morto em serviço em 15 de março de 2015, no Paranoá. A indenização ficou em R$ 130 mil. Mas os casos de quem não consegue o benefício se multiplicam, como o do primeiro sargento da PM Adriano Ricardo Ferreira, 40 anos. Na tarde de 4 de setembro de 2013, Ferreira teve o antebraço direito amputado após sofrer uma acidente com a viatura durante uma perseguição policial. A capotagem ocorreu na L2 Norte. Mesmo tendo direito ao seguro, ele precisou acionar a Justiça para tentar receber o recurso. O processo ainda tramita e não houve decisão a respeito do caso. O benefício é pouco divulgado. Fui saber que tinha direito seis meses depois do acidente. À época, a seguradora responsável era a FederalPrev, que funcionava no Setor de Rádio e TV Sul. Depois de 15 dias que entreguei os documentos, voltei ao local e a sala estava vazia. A empresa havia sido liquidada" Adriano Ricardo Ferreira, primeiro sargento da PM Sem receber o benefício e sem ter a quem recorrer, o militar entrou com um processo na Justiça para tentar resolver a situação. A angústia da espera mantém viva a lembrança do acidente que mudou completamente a vida do policial. Ele teve que sair das ruas, atividade na qual mais se identificava, e assumir tarefas burocráticas no setor administrativo da corporação. As sequelas, segundo Ferreira, são sentidas até hoje. “Esse processo do seguro me desgastou bastante. Fora que ainda sinto dores devido à amputação. A minha última cirurgia foi em agosto de 2016. Ela estava marcada para 2015, mas não pude fazer por conta dos problemas com o convênio da PM”, destacou. Morte em serviço A família de outro sargento da Polícia Militar também recorreu à Justiça para conseguir receber o seguro. A mulher, que não quis ter o nome divulgado, contou que o marido perdeu a vida em julho de 2013, em um acidente de trânsito, quando saía do trabalho. “Ele morreu de farda, estava em serviço. Deixou uma...

Mais uma viatura da PM capota após passar sobre poça de óleo

Uma viatura da Polícia Militar capotou no viaduto de ligação do Núcleo Bandeirante para a Candangolândia por volta das 15h20 desta segunda-feira (13/2). Segundo a assessoria de comunicação da PMDF, havia apenas um policial no veículo, que sofreu apenas lesões leves e foi encaminhado pelo Corpo de Bombeiros ao Hospital Maria Auxiliadora no Gama. A perícia da Polícia Militar foi acionada para apurar as causas do acidente. Segundo relato do servidor que conduzia a viatura, havia óleo na pista. Por essa razão, ele perdeu o controle do veículo. Nos últimos anos, ao menos 25 viaturas da PMDF capotaram, sendo que o caso mais grave resultou na morte do cabo Renato Fernandes da Silva, 37 anos, em 5 de fevereiro do ano passado. Em julho de 2016, a PMDF publicou edital de licitação para renovar a frota de viaturas. O valor estipulado foi de R$ 57,88 milhões. A ideia é comprar até 400 veículos para substituir as Mitsubishi Pajero, adquiridas em 2012, e consideradas inseguras para as atividades diárias da corporação. Policiais militares relatam que a direção costuma travar fazendo com que eles percam o controle do veículo. Uma viatura do Guará (VTR 2575) em 2016 chegou a travar as rodas em uma curva, vindo a rodar na pista e por pouco não capotou. A solução encontrada pelas autoridades responsáveis foi retirar a viatura de uma área e mandá-la para outra. Entenda o que pode acontecer com as viaturas Pajero enquanto o policial dirige: https://www.youtube.com/watch?v=hohyG0C5J4M&feature=youtu.be Com informações do Site Metrópoles e Facebook de Aderivaldo Cardoso

A polícia atua em todas as áreas: uma empresa multi-uso 

Polícia Militar único órgão presente e atuante em todas as áreas do Distrito Federal

TEMPO AGORA

Brasilia, BR
céu pouco nublado
27 ° C
27 °
27 °
61 %
2.6kmh
20 %
ter
29 °
qua
27 °
qui
23 °
sex
25 °
sáb
26 °